Info

Moçambique: Governo do Niassa alerta para uso da província como "refúgio" dos insurgentes

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Maputo, 03 dez 2021 (Lusa) -- O presidente da assembleia provincial do Niassa, no norte de Moçambique, alertou para a possibilidade de os insurgentes usarem a província como "refúgio", na sequência da fuga face à ofensiva das tropas conjuntas em Cabo Delgado.

"Sejamos mais vigilantes porque a situação dos insurgentes em Cabo Delgado não está boa. A todo o custo [os grupos armados] estão a procurar refúgios e um dos refúgios pode ser a província do Niassa", alertou Artur Chitandale, citado hoje pela Rádio Moçambique.

O responsável falava durante a quinta sessão ordinária da assembleia daquela província.

Na terça-feira, a imprensa local anunciou que um grupo de homens armados terá raptado uma centena de jovens e incendiado barracas e residências na localidade de Naulala, em Niassa, uma das quais pertencentes ao chefe da localidade.

De acordo com o diário Notícias, terá havido um tiroteio entre a força da guarda fronteira e o grupo armado, suspeitando-se que este esteja relacionado com os grupos insurgentes de Cabo Delgado.

O presidente da assembleia provincial do Niassa pediu que se mantivesse a calma, referindo que "não se definiu que sejam os insurgentes" quem têm estado a protagonizar ataques naquela província.

"A situação não está esclarecida sobre o que está a acontecer connosco, particularmente na nossa província. Nestes momentos pode haver oportunismo, sejamos mais vigilantes", referiu Artur Chitandale, pedindo que a população denuncie o "movimento de pessoas estranhas".

A província do Niassa faz fronteira com Cabo Delgado, que é aterrorizada desde outubro de 2017 por rebeldes armados sendo alguns ataques reclamados pelo grupo Estado Islâmico. 

O conflito já provocou mais de 3.100 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e mais de 817 mil deslocados, de acordo com as autoridades moçambicanas. 

Desde julho, uma ofensiva das tropas governamentais com o apoio do Ruanda a que se juntou depois a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) permitiu aumentar a segurança, recuperando várias zonas onde havia presença de rebeldes, nomeadamente a vila de Mocímboa da Praia, que estava ocupada desde agosto de 2020. 

LYN // JH

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Cientistas descobrem anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19

Uma equipa internacional de cientistas descobriu anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19, incluindo esta última variante Ómicron, um estudo que foi desenvolvido por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA

Balanço da tempestade tropical Ana sobe para 18 mortos em Moçambique

Maputo, 27 jan 2022 (Lusa) - O balanço da tempestade Ana no centro e norte de Moçambique subiu hoje para 18 mortos e há mais de dez mil casas danificadas, além de dezenas de hospitais, escolas e infraestruturas elétricas, segundo as autoridades do país.

Surto de dengue em Timor-Leste com mais casos e mortes do que em todo o ano de 2021

Díli, 27 jan 2022 (Lusa) -- O surto de dengue que está a afetar Timor-Leste já causou só este mês praticamente tantas mortes como no conjunto dos dois últimos anos e com mais casos do que os registados em todo o ano de 2021.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.