Info

Museu Terra de Miranda vai ter obras de ampliação e remodelação no valor de 800 mil euros

| Norte
Porto Canal com Lusa

Miranda do Douro, Bragança, 13 out 2021 (Lusa) - O Museu da Terra de Miranda (MTM) vai ser alvo de uma intervenção prevista para o final do ano, num investimento que ronda os 800 mil euros, disse hoje à agência Lusa a diretora da unidade museológica.

"A intervenção visa obras de ampliação, remodelação e atualização de espaços técnicos administrativos, e a criação de uma nova narrativa museológica, obras que estão orçadas em cerca de 800 mil euros", concretizou a diretora do museu, Celina Pinto.

O MTM está instalado num edifício do século XVII, no centro da cidade de Miranda do Douro, no distrito de Bragança, que já apresentava fragilidades estruturais, a serem colmatadas com "esta intervenção de fundo".

Segundo a responsável, a anunciada obra de beneficiação e ampliação do MTM vem marcar uma nova etapa da história deste museu, "considerando o desafio de mudança que agora se coloca".

"Urgia atualizar este museu, atualizar o espaço e a narrativa dos discursos no sentido de acompanhar a atual evolução da museologia. Há muito que aguardávamos por esta obra, e irá acontecer num momento especial para esta instituição, mais propriamente quando no próximo ano celebramos os 40 anos da criação do museu", vincou a responsável.

"Em primeiro lugar este projeto vem proporcionar condições dignas ao funcionamento desta instituição museológica que se quer capaz de cumprir a sua missão museológica de conservação, salvaguarda, interpretação e comunicação do património cultural", concretizou Celina Pinto.

Por outro lado, e de acordo com a responsável, a intervenção vem possibilitar a criação de novos conteúdos museográficos, possibilitando a aproximação a uma nova museologia, mais contemporânea, mais sensitiva e mais interativa, "sentida" e partilhada num espaço de referência que ultrapassa a dimensão local, considerando que este museu é detentor de um potencial antropológico/etnográfico incondicionalmente único no contexto nacional.

"Pretendemos, através de um trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos últimos anos - e que se prende com registos e levantamentos, ampliação e reconstituições das coleções, reforço de equipa, constituição de parcerias e redes de trabalho -, poder agora alavancar o desenvolvimento de um trabalho mais estrutural e sistemático", enfatizou.

Para a diretora da unidade museológica, este projeto de reabilitação física do MTM, além de ajudar a suprir as necessidades e fragilidades deste equipamento cultural, no que se refere à sua estrutura edificada, sublinha a importância, cada vez maior, que o património seja reabilitado numa perspetiva de promoção e coesão territorial, no sentido de combater e atenuar os desequilíbrios e assimetrias regionais.

"Em termos de discurso o MTM reflete uma dimensão geográfica, um sentido de territorialidade, pelo qual está subjacente a leitura do seu próprio território, da sua paisagem e da sua história, da sua língua, dos seus modos de viver e da sua cultura", observou a responsável.

Para a direção e a tutela do MTM, as características desta tipologia de museu devem apresentar-se enquanto estrutura dinamizadora de ações culturais capazes de promover o desenvolvimento local.

FYP // MAG

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Hospital de Braga espera "para breve" consenso com chefes de equipa da Urgência

A administração do Hospital de Braga garantiu hoje, em comunicado, que há “avanços positivos no diálogo” com os chefes de equipa do Serviço de Urgência, adiantando que “espera alcançar um consenso em breve”.

Assalto com arma de fogo ao Posto dos Correios de Valadares, em Vila Nova de Gaia

Um motociclista, munido com uma arma de fogo, assaltou hoje o Posto dos Correios de Valadares, na Rua Ferreira de Castro, em Vila Nova de Gaia, tendo conseguido fugir às autoridades, revelou à Lusa fonte da PSP.

Juiz de instrução do Porto manda julgar grupo familiar por escravizar 14 pessoas

Um casal e um filho de ambos vão a julgamento por sujeitarem pelo menos 14 pessoas fragilizadas a trabalho escravo em explorações agrícolas espanholas, entre 2011 e 2016, determinou um juiz de instrução criminal do Porto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.