Info

O "maior problema" dos operadores turísticos nacionais "tem três letras e chama-se TAP"

O "maior problema" dos operadores turísticos nacionais "tem três letras e chama-se TAP"
| Economia
Porto Canal com Lusa

O presidente da Associação Portuguesa dos Agências de Viagens e Turismo (APAVT), Pedro Costa Ferreira, disse hoje que a TAP é "o maior problema" e um "elefante na sala" na atividade dos operadores turísticos nacionais.

"O maior problema que foi identificado nas reuniões que tivemos na Madeira é um problema com três letras apenas, mas que hoje é um elefante na sala e chama-se TAP", disse o presidente da APAVT na conferência de imprensa após uma reunião com o secretário regional do Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, e os oito principais operadores turísticos nacionais que trabalham com a Região Autónoma da Madeira.

Para Pedro Costa Ferreira, "a política da TAP tem-se mantido numa inflexibilidade tarifária brutal, ao contrário da sua concorrência, o que provoca o afastamento dos grupos, do 'corporate' [empresas] e dos charters", indicando ainda haver "falta de diálogo comercial" e "um esvaziamento da estrutura de vendas".

O dirigente da APAVT admitiu, assim, que os principais operadores turísticos nacionais venham a associar-se numa futura operação charter.

"Seria uma opção para contrariar a falta de diálogo com a TAP e os preços absurdos que estão a ser praticados, era uma tentativa dos operadores turístico que sabem que têm procura, quer para o Porto Santo, quer para a Madeira", disse, dando o exemplo da ligação de seis voos com o Porto Santo por via da Iberia.

"Estão a pensar fabricar eles próprios uma resposta, resposta que já foi fabricada há trinta anos", recordou, acrescentando que a TAP "não respondeu a nenhum pedido de cotação 'charter' este ano".

"Vemos, com pena, que a companhia de bandeira não está associada a esta grande operação nacional para território nacional, neste caso, insular, aqui, no Atlântico", lamentou o secretário regional do Turismo e Cultura, Eduardo Jesus.

O governante madeirense disse que a região perspetiva "um bom verão, dadas as circunstâncias, a partir do mercado nacional", opinião secundada também por Pedro Costa Ferreira.

"Tencionamos conseguir um novo recorde porque a Madeira tem feito uma gestão interna da pandemia que traz muita segurança ao consumidor", referiu.

Eduardo Jesus enumerou as várias medidas do Governo Regional de contenção da pandemia: que até final de maio 25 mil profissionais do turismo vão ser vacinados; o corredor verde nos aeroportos e portos; anunciou que a JET2 fixou nove voos para a Madeira logo que o Reino Unido levante as restrições nas viagens e que a ilha do Porto Santo "é uma ilha free-covid".

+ notícias: Economia

Despedimento coletivo reduzido para 78 trabalhadores após mais quatro acordos

O despedimento coletivo na TAP vai abranger 78 trabalhadores, abaixo dos 124 previstos e depois da redução para 82 anunciada em agosto, após se terem alcançado mais quatro acordos, anunciou hoje a presidente executiva.

Reprivatização da Efacec deve estar concluída antes do final do ano

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, disse na noite de terça-feira que espera que o processo de reprivatização da Efacec esteja concluído antes do final do ano.

Calçado português "resistiu melhor" que os concorrentes ao impacto da pandemia

Redação, 18 set 2021 (Lusa) -- A indústria portuguesa de calçado "resistiu melhor" ao impacto da pandemia do que os concorrentes e evidencia já "sinais de recuperação" no primeiro semestre deste ano, com um crescimento homólogo de 12,3% das exportações, assinala a associação setorial.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.