Info

Jorge Coelho: Câmara de Mangualde lamenta perda da "maior referência na região"

| País
Porto Canal com Lusa

Mangualde, Viseu, 07 abr 2021 (Lusa) -- O presidente da Câmara Municipal de Mangualde, concelho da origem de Jorge Coelho, lamentou hoje à agência Lusa a perda "da maior referência na região" não só em termos políticos, como empresariais.

"Estamos em estado de choque, com grande consternação. Jorge Coelho era a maior referência que tínhamos no nosso concelho. Foi um político maior, um grande gestor, um empresário", disse Elísio Oliveira, numa reação à morte do antigo dirigente socialista e ministro dos governos de António Guterres entre 1995 e 2002.

O autarca de Mangualde destacou o investimento que Jorge Coelho "fez na sua terra, numa queijaria", numa "lógica emotiva" que suplanta a empresarial, "de amor à terra" e que "exprime um profundo sentimento telúrico", homenageando o seu avô e o pastoreio.

"Na sua queijaria, para além dos cerca de 15 postos de trabalho direto que criou, sustentava uma rede de pastores que vivem do pastoreio e das suas ovelhas e Jorge Coelho também o fez com essa intencionalidade", contou.

Elísio Oliveira admitiu ainda que Jorge Coelho "era uma pessoa próxima das pessoas, um conselheiro", com quem "falava com frequência, sobre todas as áreas em geral e sobre a visão estratégica das coisas".

"Era um consolo falar com ele e um privilégio trocar impressões e, também por isso, recebemos esta notícia de forma tão sentida e magoada, este desfecho e este destino de forma tão inesperada e chocante", disse.

Jorge Coelho, ministro dos governos liderados por António Guterres entre 1995 e 2002, morreu hoje, segundo fonte do PS, vítima de paragem cardíaca fulminante.

Jorge Coelho foi ministro de três pastas: ministro Adjunto; ministro da Administração Interna; ministro da Presidência e do Equipamento Social.

A partir de 1992, com Guterres na liderança, Jorge Coelho foi secretário nacional para a organização, contribuindo para a vitória eleitoral dos socialistas nas legislativas de outubro de 1995.

Nascido em 17 de julho de 1954, em Mangualde, distrito de Viseu, Jorge Coelho era empresário, mas continuou sempre a acompanhar a atividade política, como comentador de programas como a Quadratura do Círculo, na SIC Notícias e TSF, mas também como cidadão.

Jorge Coelho marcou a atividade política ao demitir-se do cargo de ministro do Equipamento do executivo de António Guterres após a queda da ponte de Entre-os-Rios em 04 de março de 2001, alegando que "a culpa não pode morrer solteira".

IYN // VAM

Lusa/Fim

+ notícias: País

Vinte e nove concelhos com incidência de Covid-19 superior a 120 casos por 100 mil habitantes

Portugal tem hoje 29 concelhos com incidência da covid-19 superior a 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, valor igual ao indicado no anterior boletim, divulgado na sexta-feira.

Portugal com quatro mortes e 553 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje mais quatro mortes relacionadas com a covid-19, 553 novos casos de infeção com o novo coronavírus, um aumento nos internamentos em enfermaria e uma diminuição nos cuidados intensivos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Zoom Zoom Z o o m