Hospital de Braga põe termo a discriminação salarial de 1.571 trabalhadores

| Norte
Porto Canal com Lusa

O salário de 1.571 trabalhadores do Hospital de Braga vai crescer já a partir de novembro, devido à adesão aos acordos coletivos de trabalho (ACT), hoje assinados pela instituição com as diferentes estruturas sindicais.

Segundo fonte do hospital, em causa estão 805 profissionais das carreiras gerais, 657 enfermeiros, 99 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica e 10 farmacêuticos.

Os sindicatos vinham reivindicando, há mais de um ano, a assinatura dos ACT para acabar com o que classificavam de “inadmissível discriminação” salarial daqueles trabalhadores.

A reivindicação começou desde que, em 01 de setembro de 2019, a gestão do Hospital de Braga passou do Grupo Mello Saúde para a esfera pública.

Sem a adesão aos ACT, aqueles 1.571 profissionais mantiveram-se com os salários que tinham, o que provocava desigualdades com outros que prestavam exatamente o mesmo serviço.

Segundo o presidente do Conselho de Administração do hospital, João Porfírio Oliveira, aqueles profissionais estavam a ser prejudicados, em média, em valores entre os 100 e os 200 euros.

“O Conselho de Administração empenhou-se afincadamente, desde o início, nesta matéria, para garantir maior equidade entre os profissionais”, referiu, na cerimónia de assinatura do acordo com os sindicatos.

O responsável disse que não serão pagos retroativos mas sublinhou que as atualizações salariais acontecerão já com o salário de novembro, altura em que é pago o subsídio de natal.

“É, por isso, duplamente importante a assinatura agora da adesão aos ACT”, referiu.

Segundo João Porfírio Oliveira, o acordo agora alcançado vai também contribuir para aumentar a “paz social” no hospital e, consequentemente, para uma mais rápida recuperação dos atrasos provocados pela pandemia de covid-19.

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, admitiu que este processo “nem sempre foi fácil”, tendo conhecido “avanços, recuos e aproximações”, mas congratulou-se com o desfecho.

+ notícias: Norte

Avança demolição de habitações em risco na costa de Esposende com final à vista para dezembro

O projeto de execução para demolição das construções em risco em Cedovém, em Esposende, cuja conclusão esteve prevista para final de 2023, vai avançar, após aval do novo Governo, prevendo-se a sua conclusão até dezembro, foi esta quarta-feira revelado.

Sucateiro que foi sequestrado e roubado em Aveiro iliba arguidos durante o julgamento

Um sucateiro que foi sequestrado e roubado ilibou esta quarta-feira dois arguidos que estão acusados de estarem envolvidos nos factos ocorridos há cerca de um ano em Aveiro, e que se remeteram ao silêncio no início do julgamento.

Helicóptero combate incêndio junto a zona industrial em São Pedro da Cova

Um incêndio deflagrou ao final da tarde desta quarta-feira numa zona de mato junto a armazéns da zona industrial de Tardariz, em São Pedro da Cova, confirmou ao Porto Canal fonte do Comando Sub-Regional de Emergência e Proteção Civil da Área Metropolitana do Porto.