APAVT apela para que medida açoriana de apoiar custos fixos das empresas seja para todo país

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 17 set 2020 (Lusa) - A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) defendeu hoje que a medida do Governo dos Açores de pagamento parcial dos custos fixos das empresas de agências de viagens deve ser estendida a todo o país.

"A APAVT apela ao desenvolvimento de medidas similares para aplicação no restante território nacional, contribuindo-se assim para uma capacidade de retoma económica nacional mais coerente e homogénea, único modo de assegurarmos o emprego e a dignidade de milhares e milhares de trabalhadores do nosso país", lê-se no comunicado hoje divulgado pela associação que representa as agências de viagens e turismo.

Quanto à medida do Governo regional dos Açores, a APAVT saúda-a, considerando que "integra de forma absolutamente coerente e assertiva uma estratégia global de controlo do desemprego, por um lado, e de sobrevivência das empresas, por outro" e que a região fica mais bem preparada para a retoma da economia.

Em 27 de agosto, o Governo dos Açores anunciou três novas medidas de apoio ao setor do turismo, fortemente afetado pela pandemia de covid-19, incluindo ajudas para suportar os custos operacionais das empresas.

Esse apoio passa pela criação de um programa para apoiar os custos operacionais das empresas do setor turístico, que se traduz num apoio não reembolsável (a fundo perdido) de 75% sobre o valor das despesas elegíveis, referentes, por exemplo, a água e energia, rendas e alugueres, comunicações, seguros, vigilância e segurança.

"O valor máximo por empresa é de 100 mil euros e, no caso de um grupo de empresas, o valor máximo é fixado em meio milhão de euros", disse o presidente do Governo regional, Vasco Cordeiro, acrescentando que estão previstos 10 milhões de euros para financiar este programa.

Serão comparticipadas as despesas referentes ao período entre 01 julho de 2020 e 31 de março de 2021.

IM (PPF) // MSF

Lusa/fim

+ notícias: País

Descentralização na ação social aprovada com reforço de 35 milhões de euros. Prazo limite adiado para 3 de abril

A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e o Governo chegaram, esta terça-feira, a acordo no processo de descentralização de competências para a área da Ação Social, após o Governo ter anunciado um aumento da verba anual a transferir para as autarquias de 56,1 milhões de euros para 90,8 milhões.

Ministério da Defesa Nacional. É tempo de esperar "serenamente", vinca Marcelo sobre investigações

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou que se deve aguardar o resultado da investigação que envolve o Ministério da Defesa Nacional "serenamente, sem formular juízos prévios".

Diretor da PSP convicto de que “não há racismo estrutural” na PSP

O diretor nacional da Polícia de Segurança Pública manifestou-se, esta terça-feira, convicto de que “não há racismo estrutural” na PSP, considerando que a esmagadora maioria dos polícias “não é racista, nem extremista”.