Canoagem quer aproveitar Europeus para "mostrar a sua qualidade a Portugal"

| Desporto
Porto Canal / Agências

Montemor-o-Velho, 11 jun (Lusa) -- A Federação Portuguesa de Canoagem pretende "mostrar a Portugal a sua realidade e qualidade, um desporto que honra o país mesmo em tempos difíceis", nos Europeus, que vão ser disputados em Montemor-o-Velho, de sexta-feira a domingo.

"Acima de tudo, estes Europeus são importantes para a canoagem mostrar todo o seu potencial, dar a conhecer a equipa, os jovens promissores, o Centro de Alto Rendimento. Mas, também para provar que somos capazes de organizar provas ao mais alto nível, já que esta tem uma exigência quase olímpica. Queremos afirmar-nos em todos esses campos e ter a canoagem portuguesa como referência internacional", disse Mário Santos.

Na apresentação do evento, o presidente federativo recordou que Montemor-o-Velho vai receber "as maiores potências da canoagem, pois 80 por cento das medalhas em Londres2012 foram conquistadas por europeus", lembrando que os mais de 700 canoístas de 29 países presentes no evento apresentam "elevadíssimo nível".

"Que a canoagem mostre capacidade competitiva e organizativa. Temos presente que o que nos traz visibilidade são os resultados positivos, em Portugal ou outro lugar. Atravessamos tempos difíceis, mas estamos habituados a superar isso", vincou.

Os Europeus de canoagem vão contar com perto de 100 voluntários e terão um custo organizativo a rondar os 700 mil euros, "sendo que uma parte significativa do orçamento visa a produção televisiva" do evento, que vai ter cobertura em direto na estação Eurosport.

"Apesar de termos o sinal aberto e gratuito, de termos os únicos medalhados em Londres2012 e de sermos a modalidade que conquistou 14 dos 28 pontos de Portugal nos Jogos Olímpicos, para já nenhuma televisão nacional manifestou interesse em aproveitá-lo, o que não se compreende", lamentou Mário Santos.

Os Europeus de canoagem vão reunir mais de 700 atletas de 29 países no CAR de Montemor-o-Velho, um projeto orçado em cerca de 20 milhões de euros e que serve a canoagem, remo, triatlo e natação em águas abertas.

RBA // JP

Lusa/Fim

+ notícias: Desporto

Aliciamento de jogadores pelo Benfica. Uma teia que se vai adensando

Edgar Costa, atleta da equipa do Marítimo, denunciou em junho de 2019, à procuradora Andrea Marques, a tentativa de suborno do empresário Miguel Pinho, a alguns jogadores verde-rubros para que jogassem mal e perdessem contra os encarnados, num jogo relativo à época 2015/2016. Um processo no âmbito do qual a SAD do clube da Luz e os membros do Conselho de Administração foram constituídos arguidos. Contudo, este não é caso único e, ao longo dos últimos anos, as sucessivas denúncias de corrupção, de aliciamento e de práticas duvidosas têm colocado em sobressalto o universo benfiquista. 

Protagonistas da confusão no túnel da Luz alvo de processo disciplinar

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) comunicou, esta sexta-feira, que Hugo Viana, diretor desportivo do Sporting, e Paulo Magalhães, responsável pela empresa de segurança do Estádio da Luz, foram alvo de um processo disciplinar. Em causa estão as confusões que envolveram os dois protagonistas no túnel do Estádio da Luz após o dérbi.

FC Porto (Voleibol): Equipa “tem de dar o máximo” e jogar “com a maior garra possível”, diz Victória Alves

Numa fase em que a densidade competitiva não abona a favor da AJM/FC Porto, as portistas têm uma jornada dupla agendada para este fim de semana. Na deslocação ao reduto do Vilacondense, de sábado (15h00), Victória Alves afirmou que a equipa “tem de dar o máximo” e jogar “com a maior garra possível” para ter mais força “para vencer no domingo”, na receção ao Leixões (16h00, Porto Canal/FC Porto TV). Contra as matosinhenses, é preciso “jogar à Porto” e “trabalhar bem” para sair por cima numa “grande rivalidade entre duas equipas que estão sempre a lutar pelo título”.