Funcionário de pista do GP do Canadá morreu ao ser atropelado após a corrida

| Desporto
Porto Canal / Agências

Redação, 10 jun (Lusa) -- Um funcionário de pista afeto ao Grande Prémio do Canadá em Fórmula Um disputado domingo morreu ao ser atropelado por um veículo que transportava um carro para as boxes, revelou a Federação Internacional Automóvel.

Segundo o organismo internacional, o funcionário participava na operação de retirada de um monolugar que ficou imobilizado na pista e estava a ser transportado para as boxes.

O trabalhador terá deixado cair o rádio e ao tentar recuperá-lo tropeçou e foi atingido pelo veículo.

OS médicos no local ainda transportaram o trabalhador para o centro médico do circuito e, depois, de helicóptero para o hospital onde viria a falecer.

JCS // JCS

Lusa/fim

+ notícias: Desporto

Aliciamento de jogadores pelo Benfica. Uma teia que se vai adensando

Edgar Costa, atleta da equipa do Marítimo, denunciou em junho de 2019, à procuradora Andrea Marques, a tentativa de suborno do empresário Miguel Pinho, a alguns jogadores verde-rubros para que jogassem mal e perdessem contra os encarnados, num jogo relativo à época 2015/2016. Um processo no âmbito do qual a SAD do clube da Luz e os membros do Conselho de Administração foram constituídos arguidos. Contudo, este não é caso único e, ao longo dos últimos anos, as sucessivas denúncias de corrupção, de aliciamento e de práticas duvidosas têm colocado em sobressalto o universo benfiquista. 

Protagonistas da confusão no túnel da Luz alvo de processo disciplinar

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) comunicou, esta sexta-feira, que Hugo Viana, diretor desportivo do Sporting, e Paulo Magalhães, responsável pela empresa de segurança do Estádio da Luz, foram alvo de um processo disciplinar. Em causa estão as confusões que envolveram os dois protagonistas no túnel do Estádio da Luz após o dérbi.

FC Porto (Voleibol): Equipa “tem de dar o máximo” e jogar “com a maior garra possível”, diz Victória Alves

Numa fase em que a densidade competitiva não abona a favor da AJM/FC Porto, as portistas têm uma jornada dupla agendada para este fim de semana. Na deslocação ao reduto do Vilacondense, de sábado (15h00), Victória Alves afirmou que a equipa “tem de dar o máximo” e jogar “com a maior garra possível” para ter mais força “para vencer no domingo”, na receção ao Leixões (16h00, Porto Canal/FC Porto TV). Contra as matosinhenses, é preciso “jogar à Porto” e “trabalhar bem” para sair por cima numa “grande rivalidade entre duas equipas que estão sempre a lutar pelo título”.