CCDR-N quantifica “ainda este ano” resíduos perigosos de S. Pedro da Cova, Gondomar

| Norte
Porto Canal com Lusa

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) anunciou hoje que vai dar início "este ano" ao processo para "apuramento exato" da quantidade de resíduos das antigas minas de São Pedro da Cova, concelho de Gondomar.

Em comunicado, a entidade que já entre outubro de 2014 e maio de 2015 liderou uma primeira empreitada de remoção de resíduos aponta que "dará início este ano ao processo de apuramento exato da quantidade de resíduos remanescentes nas antigas minas", num processo que envolve a realização de sondagens".

Em causa está um caso que remonta a 2001/2002 quando milhares de toneladas de resíduos industriais provenientes da Siderurgia Nacional foram depositados em São Pedro da Cova, uma freguesia do concelho de Gondomar, distrito do Porto.

Entre outubro de 2014 e maio de 2015, depois de vários anos de reivindicações populares, visitas ao espaço de governantes, membros de partidos políticos e de associações ambientalistas, foi realizada uma primeira remoção, num investimento superior a 13 milhões de euros, 85% provenientes de fundos europeus.

Ao longo dos anos foi avançado que existiriam 88.000 toneladas de resíduos, mas o caderno de encargos do concurso público feito com vista à remoção alude a 105.600 toneladas.

No entanto, a 21 de abril do ano passado, após uma reunião que decorreu na CCDR-N e juntou representantes do então Governo, da câmara de Gondomar, bem como da Junta de São Pedro da Cova, da Agência Portuguesa do Ambiente e do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), foi confirmado que existem mais resíduos, pelo que se teria de avançar com uma "segunda fase de remoção".

Hoje a CCDR-N referiu que está a trabalhar no "apuramento exato da quantidade de resíduos remanescentes", prevendo a colaboração do LNEC, uma entidade pública que descreve como "acreditada e com experiência técnica para este exercício".

"A quantificação dos resíduos ainda existentes é uma das etapas para a resolução definitiva deste passivo ambiental. Em causa está o encontro de uma solução para os resíduos industriais", lê-se no comunicado.

A propósito deste tema, no dia 12 de fevereiro passado o parlamento aprovou seis projetos de resolução sobre este tema.

Em síntese os documentos do PCP, PSD, PS, CDS-PP, BE e PEV aprovados recomendavam ao Governo a remoção integral dos resíduos, a requalificação da área, e o apuramento de responsabilidades pelo "crime ambiental".

Nesse dia, em declarações à agência Lusa, quer o presidente da câmara de Gondomar, Marco Martins, quer o presidente da União de Freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova, Daniel Vieira, consideraram que a AR deu "suporte" às exigências da população e autoridades locais.

+ notícias: Norte

Na mira da justiça. MP investiga alegado caso de corrupção envolvendo ex-autarca de Ovar

O Ministério Público (MP) abriu um inquérito relacionado com um caso de alegada corrupção envolvendo o ex-presidente da Câmara de Ovar Salvador Malheiro, que confirmou ter apresentado esta terça-feira no tribunal local uma queixa-crime contra o autor da denúncia.

O que pensam os portuenses de um país chamado Galécia? 

As eleições regionais da Galiza deste domingo colocaram pela primeira vez a hipótese de o Bloque Nacionalista Galego ascender ao poder, com a intenção de fazer ressurgir o debate do independentismo galego. A irmandade Norte de Portugal Galiza é histórica e a criação de uma nação conjunta foi defendida por muitos no passado. Agora, há quem queira recuperar a ideia.

Homem sofre ferimentos graves depois de cair em rochas do Porto de Aveiro

Um homem, de 55 anos, sofreu esta terça-feira ferimentos graves depois de cair no molhe sul do Porto de Aveiro, incidente que obrigou ao resgate da vítima nas rochas, adiantou à Lusa fonte da Autoridade Marítima Nacional (AMN).