Jorge Máximo: "Há uma excessiva legislação e Portugal subscreve acordos internacionais contra a corrupção, mas não se percebe nada de concreto"

| Porto Canal

Jorge Máximo, da Associação Integridade e Transparência, afirma que " a entidade de transparência foi criada em 2019 e até 2023 etá a preparar-se para se instalar, quatro anos, que é o tempo de um mandato da entidade, para instalar quatro pessoas na idade da videoconferência. Portanto há uma excessiva legislação, de boas intenções e Portugal subscreve um rol de acordos internacionais de luta contra a corrupção, mas em medidas concretas não se percebe nada de concreto".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Zoom Zoom Z o o m