Info

Movimento pela desagregação de Campo e Sobrado, Valongo, lança abaixo-assinado

| Norte
Porto Canal com Lusa

Valongo, Porto, 31 mai (Lusa) - O Movimento pelas Freguesias de Campo e Sobrado Independentes, recentemente formalizado em Valongo, vai avançar com a recolha de assinaturas para entregar um abaixo-assinado na Assembleia da República (AR), indicou hoje um dos responsáveis.

O concelho de Valongo, distrito do Porto, contava, até à entrada em vigor da lei n.º 11-A/2013, com cinco freguesias, sendo que com a reorganização administrativa local Sobrado e Campo foram agregadas.

A agregação destas freguesias foi sempre alvo de polémica e debate, tendo a câmara de Valongo decidido aliás, em reunião de câmara a 30 de outubro, por unanimidade, submeter à AR uma moção na qual pede a reposição das freguesias de Campo e Sobrado, considerando que a agregação "feriu" os "mais elementares anseios da população".

Hoje, em declarações à agência Lusa, um dos representantes do Movimento pelas Freguesias de Campo e Sobrado Independentes, Adriano Ribeiro, contou que esta estrutura vai "percorrer as freguesias para recolher assinaturas", tendo como limite o final do mês de julho, altura em que remeterão o documento à AR, entre outras entidades.

O texto do abaixo-assinado refere que a agregação de Campo e Sobrado "foi feita contra a vontade da população das duas freguesias, das Assembleias de Freguesia e da Assembleia Municipal".

"[Reclama-se] a adoção das medidas adequadas para a reposição das duas freguesias e dos seus órgãos, devendo o processo estar concluído a tempo das próximas eleições autárquicas em 2017", continua o documento.

Segundo Adriano Ribeiro - que é também vereador pela CDU na autarquia de Valongo, mas à Lusa vincou que compõe e representa este movimento "enquanto cidadão", sendo porta-voz a par de António Pinto e Serafim Sousa - vão ser afixados nos chamados "lugares de costume", como cafés, igreja e serviços locais, documentos de divulgação do movimento que reuniu formalmente na última segunda-feira.

"Apelamos à participação de todos. A que se associem a nós porque a reivindicação é unanime e frequente nestas freguesias", disse o responsável.

Também está em estudo a promoção de um encontro de movimentos semelhantes que existam na região.

Recorde-se que na última sexta-feira também os presidentes da câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, e da junta de Campo/Sobrado, Alfredo Sousa, avançaram que vão propor a realização de um referendo local sobre a desagregação desta união de freguesias.

Em comunicado, os autarcas avançaram que a pergunta será "Concorda com a desagregação da União de Freguesias de Campo e Sobrado e a criação das freguesias de Campo e Sobrado?".

"Contrariamente ao defendido para justificar a agregação, hoje está comprovado que não houve quaisquer vantagens, nem económicas nem de outra natureza, que justifiquem a manutenção de uma Lei que, no que diz respeito a Campo e Sobrado", referia a nota.

PYT // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

PSP de São Mamede de Infesta tem posto encerrado durante a noite devido a falta de pessoal

O posto da Polícia de Segurança Pública (PSP) de São Mamede de Infesta, em Matosinhos, está encerrado durante a noite, à semelhança do que acontece na Maia, Valongo e Ermesinde. A razão também é a mesma, falta de pessoal efectivo.

Dois mortos em alegado caso de homicídio seguido de suicídio em Famalicão

Duas pessoas morreram este domingo em Famalicão, distrito de Braga, num caso que leva as autoridades a suspeitar do homicídio de uma mulher seguido de suicídio do marido, disseram à Lusa fontes da Proteção Civil.

Mais de 10 horas depois, incêndio em Vila Real está em fase de resolução

O incêndio rural em Perafita, Vila Verde, distrito de Vila Real, está em fase de resolução, mantendo-se no local 150 bombeiros e 49 veículos, segundo informação disponível às 07h30 na página da Proteção Civil.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.