Info

Bielorússia: Londres aplica sanções a Lukashenko, filho e membros do regime

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Londres, 29 set 2020 (Lusa) - O Reino Unido anunciou hoje sanções contra o Presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, o seu filho e membros do regime devido à repressão contra manifestantes naquele país. 

O Governo britânico disse que as sanções, impostas em conjunto com o Canadá, visam condenar violações dos direitos humanos de figuras da oposição, meios de comunicação e a população da Bielorrússia na sequência de eleições fraudulentas. 

Segundo o Governo de Boris Johnson, Lukashenko ignorou os apelos da comunidade internacional e recusou dialogar com a oposição, mantendo a repressão contra os manifestantes, centenas dos quais têm sido sujeitos a tortura e maus-tratos pela polícia. 

As sanções incluem proibição de viagens e congelamento de bens de oito indivíduos do regime bielorrusso, incluindo Alexander Lukashenko, o filho Victor Lukashenko e Igor Sergeenko, chefe de gabinete do Presidente. 

"Hoje, o Reino Unido e o Canadá enviaram uma mensagem clara, impondo sanções contra o regime violento e fraudulento de Alexander Lukashenko. Não aceitamos os resultados destas eleições fraudulentas. Nós responsabilizamos os responsáveis pela violência contra o povo bielorrusso e defendemos os nossos valores de democracia e direitos humanos", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab. 

O chefe da diplomacia britânica tinha adiantado na semana passada estar a coordenar esforços também com os Estados Unidos sobre estas sanções, mas os EUA não foram mencionados neste anúncio. 

Centenas de milhares de bielorrussos têm protestado desde a eleição presidencial de 09 de agosto, cujos resultados oficiais estenderam o mandato de 26 anos de Alexander Lukashenko, atribuindo-lhe 80% dos votos. A sua principal rival, Svetlana Tsikhanovskaya, obteve 10%.

A oposição diz que houve fraude e os Estados Unidos e a União Europeia consideraram que o escrutínio não foi livre nem justo.

Alexander Lukashenko iniciou formalmente o seu sexto mandato na quarta-feira, após uma cerimónia de posse que não foi anunciada.

A União Europeia, a Alemanha, os Estados Bálticos, a Polónia e os Estados Unidos já indicaram não reconhecer Lukashenko como Presidente legitimamente eleito da Bielorrússia.

BM (SMM) // FPA

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Covid-19: Rússia anuncia eficácia de 95% da vacina Sputnik V

A Rússia anunciou hoje que sua vacina Sputnik V contra a covid-19, desenvolvida pelo Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya em Moscovo, tem uma eficácia de 95% eficaz, segundo resultados preliminares.

Entidade europeia alerta que países que retirem medidas do Covid-19 para o Natal terão aumento de internamentos em janeiro

O Centro Europeu de Controlo de Doenças estima que se os países que em outubro e novembro tomaram novas medidas para controlar a pandemia as levantassem a 21 de dezembro, os internamentos hospitalares aumentariam na primeira semana de janeiro.

Covid-19: Vacina da AstraZenca/Oxford tem eficácia de 70%

A vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo laboratório britânico AstraZeneca e pela Universidade de Oxford tem uma eficácia média de 70%, segundo um comunicado hoje divulgado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.