Info

Presumível autora do incêndio florestal na Peneda-Gerês detida pela Polícia Judiciária e vai aguardar julgamento em prisão domiciliária

Presumível autora do incêndio florestal na Peneda-Gerês detida pela Polícia Judiciária e vai aguardar julgamento em prisão domiciliária
| Norte
Porto Canal

Uma mulher com 57 anos foi detida pela Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga, com a colaboração do Grupo de Trabalho do Norte de Redução das Ignições Florestais e da GNR, na manhã desta terça-feira, por estar indiciada pela prática de um crime de incêndio florestal no Parque Nacional da Peneda-Gerês que teve inícoo no dia 4 de agosto de 2020, apurou o Porto Canal junto das autoridades. A mulher vai aguardar julgamento em prisão domiciliária.

 A arguida, com 57 anos de idade, doméstica, reside na freguesia onde ateou o incêndio, tendo recorrido a um artefacto retardante da ignição. Foram recolhidos substanciais elementos de prova, que conduziram à detenção.

A detida irá ser presente à autoridade judiciária competente, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

+ notícias: Norte

Do TGV a Bragança vai um 'Plano de Recuperação e Resiliência' de distância

A nova estrada planeada em 1986, mas que nunca saiu do papel, poderá ligar Bragança a Puebla de Sanabria, próxima do TGV, numa ligação prevista no novo Plano de Recuperação e Resiliência, adiantou o Primeiro-Ministro. Ao Porto Canal, Gisela Santos, Diretora da Associação Empresarial de Bragança, afirma que "faz toda a diferença que exista esse tipo de ligação".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.