Info

Covid-19: Assinados hoje contratos para apoio de Portugal a empresas em Moçambique

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 21 mai 2020 (Lusa) -- Os contratos de operacionalização do fundo para a recuperação da atividade económica e investimento em Moçambique, apoiado pela cooperação portuguesa, são hoje assinados em Maputo, anunciou o Governo português.

Trata-se dos contratos que vão operacionalizar o Fundo Empresarial da Cooperação Portuguesa (FECOP), um instrumento financeiro estabelecido entre os Governos de Portugal e de Moçambique para apoio as micro, pequenas e médias empresas moçambicanas, segundo um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros português.

O Fundo visa o fortalecimento e a recuperação da atividade económica e investimento em Moçambique, designadamente face aos impactos negativos causados pela atual pandemia de covid-19.

Estes contratos serão assinados pelo Camões -- Instituto da Cooperação e da Língua, o Instituto de Promoção das Pequenas e Médias Empresas (IPEME) de Moçambique, a Associação Moçambicana de Bancos (AMB) e pelos bancos aderentes (BCI, Millenium Bim e MozaBanco).

Em virtude dos constrangimentos associados ao combate à covid-19, a cerimónia de assinatura dos contratos será realizada online.

Segundo a nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros, o FECOP tem o valor global de 11,4 milhões de euros, dos quais cerca de 5 milhões de euros são reservados para apoiar as empresas moçambicanas, cuja atividade tenha sido afetada por situações de calamidade, como a atual pandemia.

"O financiamento será canalizado através dos bancos aderentes, por via da garantia de 80% do capital em operações de apoio à tesouraria ou de investimento, com bonificação de juros e prazos de carência mais favoráveis".

Este financiamento irá possibilitar às empresas moçambicanas "fazer face a necessidades imediatas, de modo a poderem manter postos de trabalho e retomar a sua atividade económica normal".

Segundo a mesma nota, a medida integra o conjunto de ações desenvolvidas pelo Governo português para apoiar os principais países parceiros da Cooperação Portuguesa, e em particular os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor Leste, no combate à pandemia de covid-19.

Em África, há 2.997 mortos confirmados, com mais de 95 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infeções (1.089 casos e seis mortos), seguindo-se a Guiné Equatorial (719 casos e sete mortos), Cabo Verde (349 casos e três mortes), São Tomé e Príncipe (258 casos e 11 mortos), Moçambique (156 casos) e Angola (58 infetados e três mortos).

O país lusófono mais afetado pela pandemia é o Brasil, com mais de 18.800 mortes e mais de 291 mil infeções.

SMM // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Afinal o "desperdício" existe. TAP volta com sete voos no Porto e mais de 200 em Lisboa

A TAP publicou esta segunda-feira a listagem das rotas em operação para os próximos dois meses e verifica-se, para o Aeroporto do Porto regressam três rotas, num total de sete voos por semana, e para Lisboa regressam mais de 200 voos.

Atualizado 25-05-2020 21:30

Norte é a região de menor rendimento por habitante do país, mas foi a que mais contribuiu para aumentar produtividade do trabalho. Mais 16,7% que a Área Metropolitana de Lisboa

 

O Norte foi a região que mais contribuiu para aumentar a produtividade laboral entre 2000 e 2017, crescendo 20% quando a Área Metropolitana de Lisboa subiu 3,3%, revelou hoje a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN).

Pesca da sardinha reabre em 01 de junho por dois meses

A pesca da sardinha, proibida desde 12 de outubro, vai reabrir a partir das 00:00 de 01 de junho e até 31 de julho de 2020, com limites diários e semanais, revela um despacho hoje publicado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.