Info

Programa "Trabalhar no Interior" prevê apoios financeiros aos trabalhadores

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 24 jan 2020 (Lusa) -- O novo programa "Trabalhar no Interior" vai dispor de redes locais e regionais para conceder apoios financeiros aos trabalhadores, assim como promover ações de formação e reconversão profissional, avançou hoje a ministra da Coesão Territorial.

Numa audição parlamentar no âmbito da apreciação, na especialidade, da proposta do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), Ana Abrunhosa disse que o novo programa, uma iniciativa para a coesão territorial que vai envolver várias áreas de governação, pretende "assegurar que o interior é capaz de atrair e fixar cada vez mais pessoas".

Com este programa, o Governo vai "criar redes de apoio locais e regionais, para conceder apoios financeiros aos trabalhadores, comparticipar custos associados às suas viagens, garantir um acesso mais expedito ao mercado de trabalho e divulgar incentivos dos municípios do interior às empresas e às famílias", adiantou a ministra da Coesão Territorial.

Além disso, o "Trabalhar no Interior" vai promover ações de formação e reconversão profissional dos trabalhadores, bem como incentivar o seu envolvimento na identificação de necessidades formativas.

Considerando que a proposta do OE2020 representa "um bom orçamento para todo o país, sobretudo um bom orçamento para o interior português", Ana Abrunhosa ressalvou que a verba para o Ministério da Coesão Territorial - inexistente na anterior legislatura - "não se esgota nas rubricas do OE".

"Propomos para as pequenas e médias empresas (PME) do interior que beneficiem de uma taxa especial de IRC [Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas] de 12,5% para os primeiros 25 mil euros de material coletável", indicou a governante, referindo que atualmente as PME destes territórios apenas beneficiam desta taxa para os primeiros 15 mil euros.

Além deste benefício fiscal, a proposta do OE2020 sugere "uma dedução à coleta de IRC que corresponda a 20% dos gastos com a criação de emprego nos territórios do interior", apontou.

A ideia é que estes salários excedam o valor do rendimento mensal mínimo garantido, com a intenção de criar emprego qualificado.

SSM // ROC

Lusa/fim

+ notícias: Política

Alexandra Leitão reconhece que os "autarcas tinham alguma razão" de queixa sobre os moldes da descentralização

Alexandra Leitão, Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, reconhece que os autarcas "tinham alguma razão" quando diziam que “existiam algumas dificuldades” sobre o atual model de descentralização. Por isso, o Governo prorrogou em um ano o prazo para impor a transferência de competências na Saúde, Educação e Ação Social.

"Manobras de diversão". Assinatura do protocolo da expansão do metro do Porto 'marcada' pela 'guerra aberta' entre autarcas

Ficou marcada pela polémica a assinatura do protocolo entre o Governo e a Área Metropolitana do Porto para a expansão da rede do metro. Tal como o Porto Canal tinha avançado em primeira mão, são vários os autarcas que se queixam de não terem sido ouvidos no processo.

Secretário de Estado do Desporto garante que em breve serão tornadas públicas as condenações pela Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto

O Secretário de Estado do Desporto, João Paulo Rebelo, garante que em breve serão tornadas públicas as condenações já feitas pela Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto. A garantia de João Paulo Rebelo surge depois do Porto Canal ter divulgado que o regime jurídico já prevê a divulgação das decisões de condenação.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.