Info

Penas suspensas para quatro envolvidos em agressões num hospital do Porto

Penas suspensas para quatro envolvidos em agressões num hospital do Porto
| Norte
Porto Canal com Lusa

O Juízo Central Criminal do Porto aplicou hoje penas suspensas a quatro homens que em fevereiro de 2019 protagonizaram atos violentos no hospital de São João, naquela cidade, atacando um enfermeiro, um assistente hospitalar, um segurança e um polícia.

A pena mais gravosa foi de três anos de prisão e a mais leve de um ano de prisão, todas suspensas sob condições.

Num dos casos, o arguido terá de se submeter a um tratamento à sua dependência alcoólica.

Na leitura do acórdão, a presidente do coletivo de juízes exortou os arguidos a aproveitarem a oportunidade que o tribunal lhes deu ao suspender as penas e alertou que cumprirão prisão efetiva se desrespeitarem os planos que para eles forem traçados pelos serviços de reinserção social.

A alegada demora no atendimento de uma das pessoas do grupo motivou a conduta dos arguidos que, em audiência para produção de prova, confessaram os factos, alegaram ter agido sob influência do álcool, após a sua participação numa festa familiar, e pediram desculpa pela sua conduta.

O que fizeram, diz a acusação e confirmou o tribunal, foi agredir o enfermeiro de serviço na triagem, que esteve de baixa 28 dias, um assistente operacional e um segurança.

Já no exterior, um dos arguidos apontou o dedo a um agente da PSP, simulando uma pistola. Depois, entrou numa viatura, acelerou em direção ao polícia e só desviou a trajetória após o agente disparar para o ar.

Em alegações finais, o Ministério Público pediu condenações, sem indicar uma pena concreta.

Já a defesa pediu, face à confissão dos factos, a aplicação de penas suspensas e, no caso de um dos arguidos, a obrigatoriedade de frequentar uma ação contra o alcoolismo.

+ notícias: Norte

Passageiros retidos durante duas horas em voo da TAP por suspeita de coronavírus

O Porto Canal sabe que um voo da TAP de origem de Milão-Malpensa, Itália, deixou os passageiros retidos no Aeroporto Francisco Sá Carneiro durante duas horas por suspeita de um passageiro estar contaminado com coronavírus.

(em atualização)

PS Porto pede reversão do processo de extinção de freguesias na cidade

A concelhia do PS/Porto quer desagregar as freguesias da cidade. O presidente da concelhia, Tiago Barbosa Ribeiro, diz que a reforma levada a cabo pelo governo de Passos Coelho violou o património identitário.

Prazo das obras do metro do Porto alargado até 9 de março

Foi prolongado por mais duas semanas o prazo para candidaturas às obras do metro do Porto. Em causa estão a nova linha Rosa e a extensão da linha Amarela.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.