Info

Novabase conclui a venda de negócio da análise de dados à Vinci Energies por 33 ME

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 09 jan 2020 (Lusa) -- A Novabase vendeu o negócio de análise de dados para os setores de governo, transportes e energia à Vinci Energies por 33 milhões de euros, foi hoje comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

"A Novabase [...] concretizou hoje, juntamente com a sua subsidiária indireta Novabase Consulting SGPS, S.A., a alienação à Vinci Energies Portugal, S.A., do negócio 'Application and Data Analytics' para os setores de Governo, Transportes e Energia ('Negócio GTE')", lê-se na informação remetida ao mercado.

O preço pago pelo comprador foi de 33 milhões de euros, mas a este valor pode acrescer um "potencial 'earn-out'" de três milhões de euros, dependente da 'performance' final do negócio GTE em 2019.

A empresa ressalvou ainda que, tendo em conta as cláusulas de ajustamento de preço acordadas pelas partes, não é possível estimar, com precisão, a contrapartida final que pode vir a ser obtida com a transação, bem como a mais-valia que a Novabase vai receber com a conclusão desta.

Assim, a Novabase "não atualiza a estimativa de mais-valia de 12 milhões de euros e 15 milhões de euros", anteriormente divulgada.

O negócio GTE emprega atualmente perto de 400 colaboradores e representou uma faturação de 35 milhões de euros em 2018.

PE (AJO) // JNM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Governo anuncia descontos nas portagens para utilizadores frequentes

A ministra da Coesão Territorial anunciou hoje, em Macedo de Cavaleiros, descontos nas portagens de sete autoestradas a partir do terceiro trimestre do ano para os "utilizadores frequentes".

Fisco dá mais um dia para validar faturas a deduzir no IRS

O Governo alargou por mais um dia, até ao final de hoje, a validação de faturas dedutíveis no IRS, decisão justificada por "constrangimentos temporários" no acesso ao portal de confirmação de faturas, segundo um aviso no Portal das Finanças.

Fectrans aponta inconformidades na aplicação do contrato coletivo e aciona formas de luta

A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) apontou hoje inconformidades na aplicação do contrato coletivo do setor e do acordo de cargas e descargas, pedindo a intervenção da tutela e tendo já em vista formas de luta.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.