Info

Nova administração da SATA toma posse na terça-feira

| Economia
Porto Canal com Lusa

Ponta Delgada, Açores, 03 jan 2020 (Lusa) - O novo conselho de administração da transportadora aérea SATA, encabeçado por Luís Rodrigues, toma posse na terça-feira, informou hoje o Governo dos Açores.

A equipa entrará em funções "na sequência das assembleias gerais das empresas que compõem o grupo SATA", reuniões agendadas para terça-feira, 07 de janeiro, precisou o executivo regional.

Luís Rodrigues propôs dois novos administradores para o grupo: assim, a administração da transportadora integrará também, além do ex-gestor da TAP, Teresa Gonçalves e Mário Chaves.

Atualmente, Teresa Gonçalves exercia as funções de diretora de Promoção e Defesa da Concorrência na AMT -- Autoridade da Mobilidade e dos Transportes, enquanto Mário Chaves desempenhava funções no grupo Icelandair na área da consultadoria operacional e de gestão.

O antigo administrador da TAP Luís Rodrigues foi indicado recentemente pelo Governo dos Açores como o novo presidente da transportadora SATA.

Luís Rodrigues foi, entre junho de 2009 e dezembro de 2014, administrador executivo na 'holding' TAP SGPS e da TAP S.A (negócio da aviação), e foi também presidente do conselho de administração da TAP Manutenção e Engenharia Brasil e administrador executivo na empresa SPdH -- Serviços Portugueses de Handling, S.A.

"Como administrador executivo da TAP, liderou a gestão de escalas em mais de 90 destinos para onde a companhia voava, criou e implementou um programa de redução global de custos da companhia e, em abril de 2014, assumiu as funções de 'chief financial officer' [CFO, equivalente a responsável financeiro], tendo liderado, igualmente, as áreas de Recursos Humanos, Relações Laborais, T&I, Compras, Legal, Auditoria e Serviços de Saúde", sublinhou o Governo dos Açores.

Luís Rodrigues é licenciado em Economia pela então Faculdade de Economia da Universidade de Lisboa, hoje Nova SBE.

O até agora presidente do conselho de administração da transportadora aérea SATA, António Teixeira, apresentou no início de novembro a sua demissão por motivos de "ordem pessoal" e pelo atraso na "implementação de medidas de reestruturação".

Segundo a transportadora, "não obstante alguma melhoria dos resultados operacionais alcançados na SATA Azores Airlines no corrente ano, bem como a restruturação operacional efetuada nas transportadoras do Grupo SATA", António Teixeira "considerou não terem sido alcançados os objetivos a que se propôs" quando entrou em funções, em 2018.

No ano passado, a SATA registou um prejuízo de 53,3 milhões de euros, um agravamento de 12,3 milhões face ao ano de 2017.

Na apresentação das contas de então, o presidente da empresa, que agora abandona a função, manifestou a intenção de baixar os prejuízos em 2019 para cerca de metade do registado em 2018, o que foi já assumido como um "compromisso comprometido", após prejuízos nos primeiros seis meses de mais de 32 milhões de euros.

A empresa prepara atualmente um novo concurso para privatizar 49% da Azores Airlines -- ramo da SATA que opera de e para fora do arquipélago -, após o primeiro ter sido cancelado devido à divulgação de informação tida por sensível

PPF // MCL

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Covid-19: Setores têxtil, vestuário e calçado "preocupados" com prolongamento da crise

Os setores têxtil, vestuário e calçado estão "preocupados" com o eventual impacto de um prolongamento da crise do coronavírus, admitindo que poderá levar a quebras no fornecimento de matérias-primas e de encomendas provenientes da Ásia.

UE/Orçamento: Conselho Europeu termina em Bruxelas sem acordo

O Conselho Europeu extraordinário em Bruxelas consagrado ao orçamento plurianual da União para 2021-2027 terminou sem acordo, apenas cerca de 20 minutos após os líderes se terem sentado novamente à mesa para discutir a nova proposta, revelaram fontes europeias.

Luanda Leaks: Efacec garante "todas as condições" para pagar salários e a fornecedores

O Conselho de Administração da Efacec Power Solutions garantiu hoje que tem "uma gestão independente e reúne todas as condições para honrar os compromissos acordados" com todos os colaboradores e fornecedores, "não estando colocada a possibilidade" de incumprimento.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.