Info

Matosinhos quer esclarecimentos da Galp por "descargas poluentes" numa praia

| Norte
Porto Canal com Lusa

Matosinhos, Porto, 22 out 2019 (Lusa) -- A Câmara Municipal de Matosinhos pediu esclarecimentos à Galp pela "descarga de produtos poluentes de hidrocarbonetos" no sábado, na Praia do Aterro, repudiando a situação e exigindo o apuramento dos responsáveis.

Durante a reunião pública do executivo municipal, e depois de o assunto ter sido levantado pelo vereador da Proteção Civil, José Pedro Rodrigues, a presidente da câmara, Luísa Salgueiro, revelou ter enviado uma carta formal ao presidente da Galp e ao diretor da refinaria, instalada neste concelho do distrito do Porto, exigindo explicações sobre a descarga.

"Não é aceitável que uma situação destas volte a acontecer", considerou.

A socialista, manifestando repúdio pelo sucedido, referiu que tal como a câmara tem de responder perante a população, também a refinaria o deve fazer.

Revelando ter comunicado a ocorrência às autoridades competentes para verificar se existe matéria criminal, a autarca adiantou que, no sábado, técnicos da refinaria foram ao local e explicaram que tinha havido uma situação "anómala" de transbordo.

Mas, apesar dessa, Luísa Salgueiro vincou querer uma resposta oficial e o apuramento de toda a situação, assim como o delineamento de medidas para evitar futuras ocorrências.

Por seu lado, José Pedro Rodrigues revelou que o alerta para a descarga de "produtos poluentes de hidrocarbonetos" foi detetada pelas 16:50, pelo Serviço de Salvamento Balnear da Proteção Civil, e "tudo indica" que teve origem na refinaria.

Dizendo que não é a primeira vez que situações destas se verificam, o vereador da CDU assumiu que as consequências são sérias.

A refinaria de Matosinhos é um ativo da Petrogal, empresa do grupo Galp Energia.

SVF // LIL

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Estudo mostra que é mais difícil aceder ao Ensino Superior Público no Porto

Entrar numa faculdade pública é mais difícil no distrito do Porto, de acordo com os dados de um estudo do Centro de Investigação em Políticas do Ensino Superior (CIPES). Citado pelo jornal Público e divulgado esta sexta-feira, os estudantes que querem entrar no Ensino Superior Público no Porto têm mais difículdades, do que no resto do pais, devido à oferta reduzida da rede pública e da média de acesso não poder ser inferior a 14 valores para garantir a entrada.

Infraestruturas de Portugal nega cancelamentos nas obras da Linha do Minho

A Infraestruturas de Portugal nega cancelamentos na empreitada de eletrificação da Linha do Minho. Em comunicado, informou que nos primeiros meses de 2021 já será possível a circulação ferroviária, em modo elétrico.

Morte por negligência em hospital do Porto com indemnização acordada após 25 anos

O Estado português aceitou pagar 32.500 euros à família de um homem que morreu há 25 anos durante uma cirurgia para retirar uma pinça esquecida no seu abdómen durante uma operação no Hospital de São João, no Porto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.