Info

Grupo DPD funde Chronopost e Seur e vai investir 25 ME em novo centro de encomendas em Lisboa

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 09 set 2019 (Lusa) -- O grupo DPD concretizou hoje a fusão entre as empresas Seur e Chronopost, passando a usar a marca DPD em Portugal, e vai investir cerca de 25 milhões de euros até 2021 num novo centro de distribuição em Lisboa.

Em conferência de imprensa, hoje em Lisboa, o presidente do grupo DPD Portugal em Portugal, Olivier Establet, anunciou a fusão das duas empresas de transporte de encomendas que o grupo tem em Portugal, justificando com a complementaridade de serviços e a vontade de criar escala, simplificar processos e aumentar a rapidez e a fiabilidade no transporte de encomendas.

"Vamos criar uma oferta de serviços e de competitividade que nenhuma das empresas agora tinha", afirmou Olivier Establet.

O responsável disse que, nos últimos meses, o grupo investiu oito milhões de euros nas estações de distribuição de encomendas que tem em Évora, Faro, Guarda, Coimbra e Margem Sul de Lisboa.

Já o próximo grande investimento passa por abrir "a maior base de correio expresso em Portugal", num investimento que estimou em 25 milhões de euros nos próximos dois anos e que prevê estar a funcionar em 2021.

Já foi escolhido o sítio onde será localizado, estando a ser finalizada a transação imobiliária e em seguida o projeto passa para a fase de consulta para empreitada, disse Olivier Establet à agência Lusa.

Depois será equipado com maquinaria adequada, sobretudo de triagem, que, explicou, permitirá triplicar a capacidade de tratamento de 4.000 encomendas por hora para 12.000 por hora, apenas nesse centro.

"Com esta operação [fusão] estamos a trazer para Portugal investimentos que de outro modo só viriam mais tarde", considerou.

Em 2018, o grupo transportou 20,5 milhões de encomendas em Portugal e este ano estima que cheguem a 22 milhões.

Quanto à faturação, no ano passado foi de 71 milhões de euros em Portugal e este ano o objetivo é chegar aos 77 milhões de euros.

Olivier Establet disse ainda que o grupo se está a preparar para o aumento do movimento de encomendas, que acompanhará o aumento do comércio 'online', referindo que estão a ser preparados novos serviços como cacifos eletrónicos ('e-lockers'), entrega de encomendas ao domicílio no mesmo dia da compra e reforço do modelo da rede de lojas 'pick up' (em Portugal há cerca de 650 lojas onde podem ser entregues e levantadas encomendas).

"Abrimos hoje uma nova etapa no nosso desenvolvimento, agora será de aceleração dos nossos projetos", afirmou.

O grupo DPD, presente em 22 países, pertence à Geopost, uma 'holding' do grupo francês La Poste (detido pelo Estado francês).

Em Portugal tem cerca de 1.400 trabalhadores.

IM // JNM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Pescadores indignados com a interdição da pesca da sardinha

Está aí um novo período de interdição da pesca da sardinha. As regras nacionais estão em linha com as orientações europeias mas os 'homens do mar' não se conformam.

SNS registou prejuízo de cerca de 848 ME em 2018, um agravamento de 502ME face a 2017

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) registou em 2018 um prejuízo de cerca de 848 milhões de euros, um agravamento face ao ano anterior em cerca de 502 milhões de euros, segundo um relatório hoje divulgado.

Quais as prioridades para a região Norte nos próximos Fundos Comunitários?

O Parlamento Europeu quer que as negociações para o próximo quadro comunitário arranquem o mais rápido possível. Os eurodeputados vão votar esta quinta-feira uma resolução para que se chegue a um acordo sobre o orçamento do pós 2020. Em cima da mesa está um a proposta de cortes de 7% em Portugal que vão refletir-se na região Norte.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.