Info

Ampliação da Escola Profissional Agrícola de Santo Tirso concluída em Abril

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Santo Tirso, 26 fev (Lusa) -- A construção de instalações de apoio à Escola Profissional Agrícola Conde S. Bento, em Santo Tirso, deve estar concluídas em abril, representando um investimento global de 1,6 milhões de euros, anunciou hoje o presidente da Câmara, Joaquim Couto.

Numa visita às obras da Quinta de Fora, espaço localizado nas margens do rio Ave, muito próximo do Mosteiro de S. Bento onde funciona atualmente a Escola Profissional Agrícola Conde S. Bento, Joaquim Couto classificou esta empreitada de "excelente exemplo de consenso", uma vez que a obra parte da autarquia, mas os terrenos são da Misericórdia de Santo Tirso e o usufruto do espaço será de um estabelecimento de ensino.

"Esta escola [Profissional Agrícola Conde S. Bento que se dedica, entre outros, a cursos de hotelaria e turismo] tem uma longa tradição e está a modernizar-se nas suas funções educativas e funções sociais, tendo aqui um local para o início de cursos virados para o futuro. Não podemos ter turismo de qualidade e profissionalizado sem formação", defendeu o presidente da Câmara de Santo Tirso.

Esta obra insere-se no Plano de Regeneração Urbana (PRU) das margens do Ave, sendo comparticipada por fundos comunitários.

Dos 1,6 milhões de euros de investimento na Quinta de Fora, 25% são suportados pela autarquia de Santo Tirso que, acredita Joaquim Couto, será, também, um "utilizador frequente" deste espaço para a realização de debates, exposições e promoção da gastronomia.

"Seria excelente que na inauguração tivéssemos aqui alguns mestres da gastronomia moderna e até científica, mas também da tradicional. Mantendo a imagem, os sabores, a cor, os cheiros, o tato, em suma, os cinco sentidos", disse Joaquim Couto, apontando a conclusão da empreitada para abril e prevendo que as instalações estarão prontas no próximo ano letivo.

A quinta hoje visitada, cujos terrenos são da Misericórdia de Santo Tirso, possui dois edifícios - a Casa de Sequeiró e um edifício mais pequeno ao lado da eira -, onde vão decorrer as vertentes mais práticas dos cursos de hotelaria e turismo, uma vez que a escola se mantém nas atuais instalações do Mosteiro.

Na Casa de Sequeiró ficará o Centro de Educação Ambiental, um auditório, salas de aulas e de exposições/eventos, enquanto na casa contígua à eira funcionará uma cozinha pedagógica, zona de restaurante, balneários e áreas técnicas.

As acessibilidades para pessoas com mobilidade reduzida estão garantidas, disseram os responsáveis da obra, por elevadores.

A reabilitação dos edifícios da Quinta de Fora é o último dos quatro projetos "âncora" da PRU das Margens do Ave, num investimento global de dez milhões de euros.

Os restantes três projetos, já concluídos, são: o Parque Urbano de Rabada, o Passeio Pedonal das margens do Ave e a Nave Cultural da Fábrica de Santo Thyrso.

Esta visita, de acordo com o presidente da Câmara de Santo Tirso, insere-se numa nova fase deste mandato.

"Passamos a um processo para fora da Câmara Municipal. Nestes últimos meses estivemos um bocadinho virados para dentro e era necessário. Agora estamos virados para fora, o que inclui o diálogo, auscultação das populações e visita ao concelho no seu todo: às obras, às freguesias e ao património, seja património construído seja património paisagístico", concluiu o autarca.

PYT // JAP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Tiago Braga vai ser o novo presidente do Conselho de Administração da Metro do Porto

O próximo presidente do Conselho de Administração da Metro do Porto será Tiago Braga, ex-chefe de gabinete do presidente da Câmara de Gaia, apurou em exclusivo o Porto Canal. O cargo estava por preencher desde que o anterior presidente foi para o executivo, em fevereiro.

(em atualização)

Mais de mil estudantes manifestam-se no Porto em defesa do planeta

A segunda greve climática estudantil, reuniu hoje, no Porto, mais de mil jovens que, pelas ruas da cidade exigiram medidas em defesa do planeta e alertaram para a crise climática que está a pôr em risco o seu futuro.

Crianças da região Transmontana obrigadas a fazer centenas de quilómetros para terem acesso a tratamentos diferenciados de saúde

As crianças da região Transmontana têm que fazer centenas de quilómetros para ter acesso a alguns tratamentos diferenciados de saúde que só existem no hospital de Vila Real. É o caso de Lucas, de Bragança, que precisou de fazer uma ecografia cardíaca.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.