Info

PJ recupera as 430 unidades do potente analgésico desaparecido no início do mês

PJ recupera as 430 unidades do potente analgésico desaparecido no início do mês
| País
Porto Canal com Lusa

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou este sábado ter recuperado as 430 embalagens do potente analgésico Fentanilo Basi, que haviam desaparecido no início do mês, mas não precisou o local, nem constituiu arguidos, prosseguindo ainda as investigações.

De acordo com um comunicado enviado hoje às redações, a Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da Polícia Judiciária informa ter localizado e apreendido a totalidade das embalagens daquele medicamento de uso humano dadas com desaparecidas.

No dia 07 de março, a Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) anunciou o desaparecimento, do distribuidor em Portugal, de 430 unidades do medicamento Fentanilo Basi, um opióide 50 vezes mais potente do que a heroína, usado como componente da anestesia, bem como analgésico em pós-operatório ou no caso de dores extremas provocadas por doenças crónicas e oncológicas.

"Na sequência do desaparecimento, nos circuitos de distribuição, de 430 embalagens de 10 unidades cada uma do medicamento de uso humano designado Fentanilo Basi, que se apresentava na forma de solução injetável de 0,05 mg/ml por ampola, a Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes, iniciou prontamente uma investigação no âmbito de inquérito crime tendo em vista determinar as circunstâncias do desaparecimento de tal medicamento", uma vez que, devido às suas substâncias, configura uma "droga", nos termos da lei.

A PJ adianta ainda que as investigações foram levadas a cabo com o apoio da Diretoria do Norte, tendo sido "possível localizar e apreender, no decurso da corrente semana, a totalidade das embalagens que tinham sido dadas como desaparecidas".

No entanto, salvaguarda que "perante os elementos apurados, não se procedeu à constituição de qualquer arguido, prosseguindo a investigação a cargo da Polícia Judiciária para total e completo esclarecimento dos factos".

+ notícias: País

Associação da GNR diz que agressões a militares em serviço estão a aumentar

A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) lamentou este sábado que o Governo "ainda não tenha considerado" os polícias como uma profissão de risco, sublinhando que cada vez mais os militares da GNR são agredidos em serviço.

Incêndio em Oiã, Aveiro, provoca quatro feridos

Um incêndio numa fábrica de bicicletas na freguesia de Oiã, Oliveira do Bairro, distrito de Aveiro, causou este sábado quatro feridos, entre eles um bombeiro, disse à agência Lusa fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Falta de pagamento do Estado aos hospitais privados põe em causa cirurgias

Os hospitais privados ameaçam parar de fazer cirurgias aos doentes enviados pelo Serviço Nacional de Saúde caso o Estado continue a demorar tanto tempo a pagar. Já há médicos a recusar-se a operar uma vez que depois têm de esperar mais de dois anos para receber.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.