Info

Um morto e quatro feridos em incêndio num prédio da Amadora

Um morto e quatro feridos em incêndio num prédio da Amadora
| País
Porto Canal com Lusa

Uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas, duas delas com gravidade, num incêndio num prédio na freguesia da Venteira, na Amadora, disse à agência Lusa fonte da Proteção Civil.

Segundo o Centro Operacional de operações e Socorro (CDOS) de Lisboa, dos quatro feridos, dois são considerados graves e dois ligeiros. Pelas 08:15, os feridos estavam ainda a ser assistidos no local.

De acordo com fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), o morto é um bebé/criança e entre os feridos graves estão duas mulheres, uma de 28 anos que foi transportada para o Hospital de S. José e outra de 25 anos que foi levada para o Hospital de Santa Maria.

Segundo o INEM, um bebé de dois meses ficou intoxicado e foi igualmente transportado para o Hospital de Santa Maria.

O alerta para o incêndio foi recebido pelas 07:18 e o fogo deflagrou numa habitação no rés-do-chão de um prédio de três andares, na Estrada Salvador Allende, na freguesia da Venteira (Amadora).

No local, pelas 08:15, estavam oito viaturas e 24 operacionais dos bombeiros da Amadora, Queluz, PSP e INEM, que fez deslocar para o local uma equipa de psicólogos.

+ notícias: País

Fiscalizações da ASAE em pedreiras originaram 57 processos em sete anos

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) instaurou 57 processos contraordenacionais no âmbito de fiscalizações a cerca de 260 pedreiras de norte a sul do país durante os últimos sete anos, segundo dados fornecidos por este organismo.

Proposta para aumentar preço do tabaco aguarda decisão do Governo

Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um aumento do preço do tabaco, e a decisão depende agora do Governo, disse à Lusa fonte da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Bastonário dos Advogados afirma que 'habeas corpus' para a mulher que abandonou o bebé no lixo foi "uma questão de instrumentalização" 

Guilherme de Figueiredo, Bastonário dos Advogados, critica a postura do grupo de advogados que pediram um 'Habeas Corpus' para libertar a mulher de 22 anos que abandonou o bebé. Considera que foi mais uma questão de instrumentalização do assunto do que propriamente uma questão de defesa.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.