Info

Bolsa de Nova Iorque sobe após acordo para evitar 'shutdown'

| Economia
Porto Canal com Lusa

Nova Iorque, 12 fev (Lusa) - A bolsa de Nova Iorque seguia hoje em alta no início da sessão, depois de democratas e republicanos anunciarem um acordo de princípio para evitar uma nova paralisação parcial dos serviços da administração norte-americana.

Às 14:55 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones subia 0,99% para 25.301,91 pontos e o Nasdaq somava 0,98% para 7.379,43 pontos.

O índice alargado S&P 500 ganhava 0,80% para 2.731,48 pontos.

O acordo alcançado na segunda-feira à noite entre republicanos e democratas tem de ser ainda votado no Congresso e aprovado pela Casa Branca, mas destina-se a evitar um novo encerramento parcial da administração federal ('shutdown') no final desta semana.

Para financiar o muro reivindicado pelo Presidente norte-americano na fronteira com o México, o acordo prevê 1,375 mil milhões de dólares, que abrangem cerca de 88 quilómetros de obra, quando Donald Trump reclamava 5,7 mil milhões, de acordo com uma fonte citada pela AFP.

Na segunda-feira, a bolsa nova-iorquina encerrou mista, com o Dow Jones a ceder 0,21% e o Nasdaq a subir 0,13%.

EO // JNM

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Douro verifica "invasão positiva" de turistas nesta Páscoa

O Douro verifica uma “invasão positiva” de visitantes nesta época da Páscoa, maioritariamente nacionais, espanhóis ou brasileiros, registando uma taxa de ocupação hoteleira a rondar os 80%, segundo o Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Acabou-se a dor de cabeça. Greve dos motoristas de matérias perigosas termina

A greve dos motoristas de matérias perigosas terminou esta quinta-feira de manhã, depois de o sindicato e a Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) terem chegado a acordo, disse à Lusa fonte do Governo.

Atualizado 19-04-2019 12:15

Banco de Portugal aplica coima de 6,8 ME ao banco e a três ex-administradores do BES

O Banco de Portugal (BdP) condenou o BES e três ex-administradores do banco ao pagamento de 6,8 milhões de euros pela omissão de comunicação obrigatória dos problemas associados às carteiras do BES Angola.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.