Info

Objetivo de défice de 0,7% em 2018 "parece exequível" mas "não isento de riscos"

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 out (Lusa) - O Banco de Portugal considera que o objetivo de um défice de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano "parece exequível, embora não isento de riscos", de acordo com o Boletim Económico de outubro hoje divulgado.

"Nos últimos anos, o défice orçamental ajustado de fatores pontuais tem apresentado um valor mais baixo no segundo semestre do que no primeiro", refere o banco central português.

"Tendo em consideração este perfil, o objetivo oficial para o défice deste ano (0,7% do PIB), definido no Programa de Estabilidade (PE 2018-22) e mantido inalterado no âmbito da segunda notificação do procedimento dos défices excessivos, parece exequível, embora não isento de riscos", acrescenta o BdP no Boletim Económico.

"Importa destacar alguns fatores que exercem uma pressão ascendente na despesa do segundo semestre, tais como o diferente perfil de pagamento do subsídio de Natal, o efeito gradual do descongelamento de carreiras dos funcionários públicos e o aumento extraordinário das pensões em agosto de 2018", aponta a instituição, acrescentando que, "adicionalmente, subsiste alguma incerteza relativamente à evolução de algumas rubricas da receita fiscal e não fiscal".

No que respeita a esta última, o Banco de Portugal sublinha "a recuperação do valor remanescente da garantia concedida pelo Estado e executada aquando da resolução do Banco Privado Português, incluída na estimativa anual, e que pode não ser conseguida integralmente em 2018".

O BdP manteve hoje a previsão de crescimento de 2,3% da economia portuguesa para este ano, mas reviu em baixa a evolução do crescimento das exportações e do investimento.

Relativamente ao consumo privado, a instituição reviu em alta, no Boletim Económico de outubro, as projeções de junho (2,2%), passando agora a estimar 2,4%.

"Em 2018, a atividade económica em Portugal deverá continuar a expandir-se, ainda que a um ritmo inferior ao observado no ano anterior", refere.

ALU // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Pão pode aumentar em 2019 em função de subida do salário mínimo e da matéria-prima

O preço do pão poderá subir em 2019, acompanhando o aumento do salário mínimo e do valor da matéria-prima, disse à Lusa o presidente da Associação dos Industriais da Panificação, Pastelaria e Similares do Norte.

Poder de compra em Portugal desce para 76,6% da média da União Europeia em 2017

O poder de compra em Portugal fixou-se em 76,6% da média da União Europeia em 2017, abaixo do ano anterior (77,2%), ocupando o 16º. lugar entre os países da zona euro, divulgou hoje o INE.

Pensões aumentam entre 0,78% e 1,6% em janeiro com base na inflação

As pensões vão aumentar entre 0,78% e 1,6% em janeiro de 2019, segundo cálculos feitos com base nos valores da inflação de novembro publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e confirmados pelo Ministério do Trabalho.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.