Info

Desconhecimento do resultado das análises mantém fechada praia em Matosinhos

| Norte
Porto Canal com Lusa

A bandeira azul da Praia do Cabo do Mundo, em Matosinhos, continuou esta segunda-feira arriada, aguardando-se os resultados das análises para determinar se passaram os feitos do escorrimento de "lamas" da ETAR detetado, disse à Lusa fonte oficial.

Atualizado 07-08-2018 11:37

Segundo o comandante da Zona Marítima do Norte, Rodrigues Campos, o "resultado das análises entretanto efetuadas continuam por chegar", pelo que o "desaconselhamento de banhos vai manter-se até a Agência Portuguesa do Ambiente emitir o seu parecer".

"Enquanto não obtivermos o resultado das análises a bandeira azul vai continuar arriada", reforçou o comandante.

A Praia do Cabo do Mundo foi fechada após ter sido detetado, na sexta-feira, um "escorrimento para o mar" com origem alegadamente numa Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) que existe em Leça da Palmeira (Matosinhos).

"À vista desarmada a praia apresenta-se limpa depois dos serviços da Câmara de Matosinhos terem feito a limpeza do areal", divulgou Rodrigues Campos, sem que isso possa ser "entendido como a praia estar pronta" par receber os veraneantes.

A Câmara de Matosinhos admitiu no sábado que a praia poderia vir a ser reaberta hoje com bandeira azul, tendo em conta a "pouca quantidade derramada" para o areal, mas, até ao momento, essa realidade continua por confirmar-se.

+ notícias: Norte

Dois feridos e habitação destruída num incêndio numa "ilha" do Porto

Um homem e uma mulher sofreram este sábado ferimentos por queimaduras e inalação de fumos na sequência de um incêndio que destruiu uma casa de uma "ilha" do Porto (habitação de origem operária, típica da cidade), disse fonte dos Bombeiros.

GNR detém quatro suspeitos de tráfico de droga e apreende 8.500 doses em Santo Tirso

A Guarda Nacional Republicana (GNR) anunciou este sábado que deteve quatro homens em Santo Tirso (Porto) pertencentes "a uma rede organizada de tráfico de droga" que abastecia Valongo, Amarante e Marco de Canaveses (Porto), e apreendeu 8.500 doses de droga.

Alfaiate: uma profissão em extinção

Quarenta anos separam Manuel Rocha e Manuel Teles, ambos alfaiates, um há 77 anos e outro há apenas dez anos. Os dois estão na arte por paixão e lamentam a falta de seguidores e de escolas de formação.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.