Info

Temperaturas extremas levam CP a cancelar venda de bilhetes para longo curso

Temperaturas extremas levam CP a cancelar venda de bilhetes para longo curso
| Economia
Porto Canal com Lusa

A CP-Comboios de Portugal cancelou este domingo a venda de bilhetes para alguns comboios Alfa Pendular e Intercidades, sobretudo os que atravessam locais com temperaturas altas, informou a empresa, sem precisar até quando o fará.

Num comunicado divulgado esta tarde, a CP explicou a sua opção de cancelar a venda de bilhetes para comboios de longo curso, "nomeadamente para aqueles que circulam em pontos que têm revelado maior impacto no aumento das temperaturas interiores", para gerir os níveis de ocupação e, "desta forma, minimizar o desconforto da viagem".

A empresa notou ainda que as temperaturas extremas sentidas em Portugal nos últimos dias estão a "afetar seriamente a operação ferroviária".

As altas temperaturas provocam a "necessidade de intervenções continuadas" em vários pontos do país para "corrigir problemas de sinalização, quer ao nível dos comboios, cuja capacidade de refrigeração se encontra afetada".

Assim, tem havido atrasos, nomeadamente nos comboios de longo curso, que, "aliadas às temperaturas que se fazem sentir dentro dos veículos, causam níveis de desconforto elevados aos passageiros que procuram os comboios para as suas deslocações".

"A Infraestruturas de Portugal tem, em permanência, diversas equipas ao longo do país que envidam todos os esforços para solucionar os problemas na infraestrutura", lê-se ainda.

No mesmo comunicado, garante-se que a Infraestruturas de Portugal (IP) e a CP continuarão todos os esforços para "prosseguir o serviço de transporte de passageiros, com o menor desconforto possível, no contexto destas circunstancias excecionais".

Fonte ferroviária indicou à agência Lusa, pelas 15h00, que o bloqueio da venda de comboios afetou o Alfa que partiu de Braga, pelas 13h00, e quatro comboios que saem hoje de Lisboa para o Norte.

+ notícias: Economia

Moody's diz que banca portuguesa deve reduzir rede de agências e tem que melhorar qualidade de ativos

Os bancos portugueses estão no bom caminho, mas devem continuar a melhorar a qualidade dos ativos e reforçar os esforços de reestruturação, nomeadamente em termos da redução da rede de agências, indicaram à Lusa especialistas da Moody's.

Economia cresceu 2,1% em 2018 e ficou abaixo da meta do Governo

O Produto Interno Bruto (PIB) português aumentou 2,1% em 2018, menos 0,7 pontos percentuais do que o observado no ano anterior e abaixo da previsão do Governo de uma expansão de 2,3%, divulgou esta quinta-feira o INE.

Sindicatos dizem que rejeição da abolição de portagens na A23 e A25 demonstra desprezo pelo interior

A União dos Sindicatos de Castelo Branco (USCB) afirmou esta terça-feira que a rejeição das propostas para a abolição das portagens na A23 e na A25 é uma "demonstração do desprezo" pelo interior do país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.