Jornal Diário Jornal das 13

SEF identifica em exploração agrícola de Mira 18 estrangeiros em situação ilegal

SEF identifica em exploração agrícola de Mira 18 estrangeiros em situação ilegal
| País
Porto Canal com Lusa

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) revelou hoje ter identificado 56 trabalhadores, 18 dos quais estrangeiros, "em situação documental ilegal", numa ação realizada na terça-feira numa exploração agrícola do concelho de Mira.

Os 18 trabalhadores estrangeiros estavam em território nacional sem visto, título ou outro documento que os habilitasse a permanecer e a desenvolver qualquer atividade no país, refere o SEF.

"Destes 18 cidadãos detetados nestas circunstâncias, 16 foram notificados para abandono voluntário de Portugal, no prazo de 20 dias, sobe pena de, em caso de incumprimento, poderem vir a ser alvo de procedimento coercivo de afastamento, com consequente interdição de entrada em espaço Schengen por um período até cinco anos", revelou o SEF, em nota divulgada hoje.

Os outros dois cidadãos estrangeiros foram notificados para comparência no SEF, com a finalidade de ser avaliada a respetiva situação documental.

"Existindo indícios de que estes indivíduos, entrados no espaço da União Europeia/Schengen, com vistos emitidos por outros países que não Portugal, possam ter-se deslocado para o nosso país inseridos num esquema conotado com a prática do crime de auxílio à imigração ilegal, com a finalidade de requererem a regularização documental ao abrigo da legislação em vigor, o SEF irá a avaliar a eventual participação criminal dos factos", esclarece este serviço.

O SEF avança ainda que foi instaurado um "procedimento contraordenacional à entidade patronal dos cidadãos detetados em situação ilegal", ao qual corresponderá coima, cujo valor pode ir até aos 30 mil euros.

A ação contou com seis operacionais do SEF, que tiveram a colaboração de dois inspetores da Autoridade Tributária e outros dois da Alfândega.

+ notícias: País

Tribunais portugueses têm falta de 256 magistrados do Ministério Público

Faltam mais de 250 magistrados nos tribunais. O Sindicato diz que está em causa a qualidade das investigações e que ministério Público pode não conseguir cumprir com as suas obrigações.

Professores avisam que "vem aí um tempo de luta que terá de ser muito intensa"

O secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, avisou esta terça-feira que “vem aí um tempo de luta, que terá de ser muito intensa”, num plenário repleto de docentes, em Almada, que começou de manhã e durou até à hora do almoço.

Funcionária de uma empresa em Santa Maria da Feira queixa-se de retaliação após ordem judicial

Uma funcionária de uma empresa de cortiça de Santa Maria da Feira continua a queixar-se de retaliação, uma vez que, foi despedida ilegalmente e depois novamente integrada na empresa por ordem judicial mas está sujeita a trabalhos bem diferentes das outras colegas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.