Info

Primeiro-ministro timorense convicto que diálogo com Presidente vai resolver impasse político

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Dílli, 09 jul (Lusa) - O primeiro-ministro timorense disse hoje estar convicto de que o diálogo com o Presidente vai resolver o impasse político em Timor-Leste, causado pelo atraso na tomada de posse do novo Governo.

"Estamos convictos de que com a manutenção e aprofundamento do diálogo já estabelecido entre o chefe de Estado e o chefe de Governo, acerca das personalidades que devem ser nomeadas para integrar o Governo, iremos brevemente ultrapassar o atual impasse político e deverão ficar concluídas a nomeação e posse dos restantes membros do Governo", disse Taur Matan Ruak, em Díli.

"Estou seguro que dentro do quadro de normalidade constitucional, de que todos nos orgulhamos, e pautados pelos princípios do respeito e da lealdade institucionais, o chefe de Estado e o chefe do Governo continuarão a dialogar na procura de soluções e de compromissos que viabilizem, tão rapidamente quanto possível, a conclusão da formação do VIII Governo Constitucional", insistiu.

O primeiro-ministro falava no Palácio Presidencial durante a tomada de posse de Filomeno Paixão, ex-número dois das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL), como ministro da Defesa do VIII Governo, e quando faltam ser empossados uma dezena de elementos do executivo.

A formação do novo Governo tem estado num impasse, com Lu-Olo a recusar dar posse a 11 dos membros nomeados pela Aliança de Mudança para o Progresso (AMP) e pelo primeiro-ministro, Taur Matan Ruak, nove por alegadamente terem "o seu nome identificado nas instâncias judiciais competentes" e dois por possuírem "um perfil ético controverso".

Hoje deviam ter tomado posse Xanana Gusmão como ministro de Estado, conselheiro do primeiro-ministro e ministro de Planeamento e Investimento Estratégico, Alfredo Pires como ministro do Petróleo e Minerais, e Rogério Araújo Mendonça como secretário de Estado das Pescas.

Contudo, o primeiro-ministro informou oficialmente de que "por razões políticas" Xanana Gusmão, Alfredo Pires e Rogério Araújo Mendonça "não tomariam posse hoje", referiu Lu-Olo. Esta foi a segunda vez que Xanana Gusmão foi nomeado como ministro, com competências alargadas neste segundo decreto, e não foi empossado.

Matan Ruak recordou que o sistema semipresidencial "é exigente e obriga a um esforço permanente de todos os responsáveis políticos" para ajudar a resolver problemas que surjam.

Esse é especialmente o caso "daqueles que são titulares dos órgãos de soberania e que devem procurar dialogar, debater e encontrar soluções de compromisso que viabilizem o funcionamento do Estado e, dessa forma, não obstaculizem ou impeçam o desenvolvimento e a melhoria das condições de vida" da população, disse.

"A democracia não impõe que todos tenhamos que partilhar as mesmas ideias, as mesmas opiniões ou a mesma visão política acerca do futuro do nosso país. Mas o amor que todos, sem exceção, temos pela nossa pátria e pelo nosso povo, impele-nos à constante procura de consensos e soluções equilibradas capazes de satisfazer o interesse público", afirmou.

Sobre a tomada de posse de Paixão, o primeiro-ministro recordou o seu "reconhecido mérito nos serviços prestados (...) durante a luta pela libertação nacional e durante os quase vinte anos de construção de umas Forças de Defesa, modernas, profissionais e eficientes, capazes de dar resposta aos múltiplos desafios de defesa interna e externa".

ASP//FST/EJ

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Londres convoca encarregado de negócios iraniano por causa de petroleiro britânico apreendido

Londres, 20 jul 2019 (Lusa) -- A diplomacia britânica convocou hoje o encarregado de negócios iraniano no Reino Unido, na sequência da apreensão pelas autoridades de Teerão de um petroleiro de pavilhão britânico, divulgou fonte governamental.

Socialistas espanhóis otimistas num acordo com Unidas Podemos para governar

Madrid, 20 jul 2019 (Lusa) -- Os socialistas espanhóis manifestaram-se hoje otimistas quanto à perspetiva de alcançar um acordo com a aliança Unidas Podemos (esquerda radical) que assegure a investidura de Pedro Sánchez como presidente do Governo espanhol na próxima semana.

Filipe Nyusi diz que combate à corrupção será prioridade caso seja reeleito

Maputo, 20 jul 2019 (Lusa) - O presidente da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, Filipe Nyusi, afirmou hoje que o combate à corrupção e a promoção da ética governativa serão prioridades, caso seja eleito para um novo mandato.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.