Info

EUA devolvem 522 crianças imigrantes que tinham sido separadas dos pais

EUA devolvem 522 crianças imigrantes que tinham sido separadas dos pais
| Mundo
Porto Canal com Lusa

Os Estados Unidos anunciaram este domingo que reuniram com suas famílias 522 crianças imigrantes que tinham sido separadas dos pais depois de atravessarem a fronteira com o México, primeira consequência da ordem executiva assinada por Trump.

O presidente americano assinou na quarta-feira um diploma que acabou com a separação das famílias de imigrantes ilegais à chegada aos Estados Unidos, mas avisou que iria continuar a apostar numa política de "tolerância zero".

A ordem executiva prevê que pais e filhos fiquem todos detidos no mesmo espaço e por tempo indeterminado. No caso de menores já separados de suas famílias, a reunificação depende do resultado do processo de deportação dos pais, diz o novo plano do governo.

Há duas opções: se um juiz determinar que o pai tem o direito de pedir asilo, as autoridades devem entregá-lo ao filho; mas se, pelo contrário, for decidido que o pai deve ser deportado, então ele só pode voltar a ter a custódia da criança quando está prestes a ser expulso dos Estados Unidos.

Atualmente, os pais estão sob custódia nos centros administrados pelo Serviço de Imigração e Alfândega (ICE), enquanto as crianças estão nos abrigos do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, que tem jurisdição sobre menores imigrantes

Donald Trump tem recebido duras críticas, até do Partido Republicano, por ter instaurado uma política de "tolerância zero" que levou à separação de crianças imigrantes dos respetivos pais e que, segundo os seus críticos, pretendia dissuadir a imigração de mexicanos para os Estados Unidos da América.

No comunicado divulgado hoje, o Departamento de Segurança Interna dos EUA esclarece que, até 20 de junho, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos tinha 2.053 crianças sob sua custódia, embora apenas 17% fossem separadas de seus pais, enquanto os restantes correspondiam a crianças que viajaram sozinhas

A reunificação dos 522 menores foi realizada pelos serviços de Alfândega e Proteção das Fronteiras (CBP), agência que processa os indocumentados quando chegam ao país.

O CBP tinha planeado juntar 16 outras crianças com seus pais na sexta-feira, mas a reunião teve que ser adiada devido às más condições climatéricas e possivelmente ocorrerá nas próximas 24 horas, de acordo com a nota.

Neste sábado, Donald Trump regressou ao debate migratório com um polémico discurso em Las Vegas em que garantiu que, sem as suas duras políticas migratórias, "milhões de imigrantes" atravessariam ilegalmente a fronteira com o México.

"Se mostrarmos qualquer fragilidade, virão milhões", assegurou Trump num casino em Las Vegas, onde o público repetia o seu nome e lhe pedia, aos gritos: "Construa o muro!".

+ notícias: Mundo

Turquia detém 52 sírios suspeitos de ligação ao Estado Islâmico

A Turquia deteve esta quinta-feira 52 cidadãos sírios suspeitos de ligação ao grupo extremista Estado Islâmico numa operação na cidade de Bursa, a cerca de 100 quilómetros a sul de Istambul, noticia a agência estatal Anadolu.

Democratas e republicanos anunciam acordo provisório sobre muro exigido por Trump

Negociadores democratas e republicanos anunciaram no domingo terem alcançado um princípio de acordo sobre o muro que o Presidente dos Estados Unidos reinvindica na fronteira com o México, mas cuja verba está longe daquela reclamada por Donald Trump.

PR de Cabo Verde diz que "não seria adequado" visitar país agora

Praia, 15 fev (Lusa) -- O Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, anunciou hoje que não irá visitar a Guiné-Bissau antes das eleições legislativas de 10 de março, por considerar que "não seria adequado ir neste momento".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.