Info

Preços da habitação aumentam 12,2% no 1º trimestre, maior subida em oito anos

Preços da habitação aumentam 12,2% no 1º trimestre, maior subida em oito anos
| Economia
Porto Canal com Lusa

Os preços da habitação aumentaram 12,2% até março, em termos homólogos, pelo quinto trimestre consecutivo, acelerando face à subida de 10,5% do trimestre anterior e crescendo ao ritmo mais alto em pelo menos oito anos, divulgou hoje o INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), esta é a taxa de variação mais elevada do Índice de Preços da Habitação (IPHab) da série disponível desde 2009, tendo o aumento de preços ocorrido quer nas habitações existentes, quer nas habitações novas, que apresentaram as variações mais altas da série.

"As habitações existentes registaram um aumento no ritmo de crescimento dos preços pelo terceiro trimestre consecutivo, tendo-se fixado em 13,0% nos três primeiros meses do ano (11,8% no quarto trimestre de 2017)", refere o instituto, enquanto nas habitações novas "a taxa de variação (9,7%) foi a mais elevada da série, aumentando 3,8 pontos percentuais face ao trimestre anterior".

Nos primeiros três meses de 2018, foram transacionados 40.716 alojamentos, mais 15,7% que no mesmo período de 2017.

O valor das vendas realizadas neste período ultrapassou os 5,4 mil milhões de euros, aumentando 25,7% relativamente ao primeiro trimestre de 2017, sinaliza o INE.

Entre o quarto trimestre de 2017 e o primeiro trimestre de 2018 o IPHab cresceu 3,7%, mais 2,5 pontos percentuais que no trimestre anterior.

A aceleração dos preços foi, segundo o INE, "mais intensa" no caso das habitações novas, com uma variação de 4,4% (0,0% no trimestre anterior), enquanto nos alojamentos existentes a taxa de variação foi 3,6%.

Nos primeiros três meses de 2018, a taxa de variação média anual do IPHab atingiu 10,3%, o que representa um acréscimo de 1,1 pontos percentuais relativamente ao trimestre anterior, tendo a taxa de variação média anual das habitações existentes e novas sido de 11,3% e 7,0%, respetivamente.

Em termos regionais, entre janeiro e março a Área Metropolitana de Lisboa e a região Norte concentraram 65,0% do total do número das vendas de habitações, "o registo mais elevado dos últimos dois anos".

A Área Metropolitana de Lisboa atingiu as 14.548 vendas e, em linha com o que vem acontecendo desde o terceiro trimestre de 2017, a região Norte voltou a exceder as 11 mil transações.

Juntas, estas duas regiões representaram 71,8% do valor das transações realizadas nos três primeiros meses de 2018, o que constitui um novo máximo da série disponível (mais 0,6 pontos percentuais face ao anterior máximo observado no primeiro trimestre de 2017).

Com um total de 3.920 transações, o Algarve foi a outra região, a par de Lisboa e Norte, que aumentou (em 0,1 p.p.) a sua importância relativa no total das vendas realizadas no país.

+ notícias: Economia

Bruxelas identifica risco de incumprimento no orçamento português

A Comissão Europeia considerou hoje que a proposta de Orçamento do Estado de Portugal para o próximo ano (OE2019) coloca um risco de incumprimento do Pacto de Estabilidade e Crescimento, pedindo medidas se estas se revelarem necessárias.

OCDE revê em baixa crescimento da economia para 2019 e vê défice nulo em 2020

A OCDE reviu ligeiramente em baixa o crescimento da economia portuguesa em 2019, para 2,1%, inferior ao estimado pelo Governo (2,2%), antevendo que o défice orçamental desapareça em 2020.

Número de desempregados inscritos desceu 17,4% em outubro, para 334.241

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego baixou 17,4% em outubro face ao mesmo mês de 2017 e diminuiu 1,4% face a setembro, para um total de 334.241 pessoas, revela hoje o IEFP.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.