Info

Governo seleciona investidores para propostas definitivas à compra da CGD Espanha e África do Sul

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 jun (Lusa) -- O Governo selecionou hoje os investidores que podem avançar para a compra das operações da Caixa Geral de Depósitos (CGD) em Espanha e na África do Sul, através da apresentação de propostas vinculativas, segundo o comunicado do Conselho de Ministros.

"O Conselho de Ministros aprovou hoje as resoluções que determinam a seleção dos potenciais investidores admitidos a participar na fase subsequente do processo de alienação de ações detidas pela Caixa Geral de Depósitos", lê-se na informação divulgada, que acrescenta que os selecionados agora "serão convidados a desenvolver diligências informativas e a proceder à apresentação de propostas vinculativas".

Em 24 de maio, o Governo tinha aprovado os cadernos de encargos com as condições para a venda dos bancos Banco Caixa Geral, em Espanha, e Mercantile Bank, na África do Sul.

Já na passada terça-feira (12 de junho) foram conhecidas as condições que o Governo definiu para as vendas, segundo um diploma publicado em Diário da República, ficando a saber-se que será dada preferência a compradores que assegurem a continuidade do relacionamento com a comunidade portuguesa radicada nesses países ou clientes com ligações especiais a Portugal.

Com a aprovação de hoje em Conselho de Ministros o Governo dá mais um passo para a concretização destas vendas. Contudo, o comunicado dá poucos pormenores sobre os processos em causa, nomeadamente sobre quem são os investidores interessados em ficar com os bancos da CGD em Espanha e África do Sul.

A redução da operação da CGD fora de Portugal - Espanha, África do Sul, França e Brasil - foi acordada em 2017 com a Comissão Europeia como contrapartida da recapitalização do banco público.

No início de junho, o presidente não executivo da filial em Espanha da CGD, Francisco Cary, disse em entrevista ao jornal espanhol Espansión que o banco deve ser vendido antes do verão e que o Governo já recebeu a lista das "três ou quatro" propostas favoritas, a maioria de bancos espanhóis.

Em Espanha a CGD detém uma rede comercial de 110 balcões e mais de 500 trabalhadores.

Sobre a venda do banco na África do Sul, em março de 2017, quando essa intenção foi conhecida, representantes da comunidade portuguesa disseram à Lusa que essa decisão revela que Portugal somente se interessa pelas remessas dos emigrantes. Na África do Sul vivem cerca de 400 mil portugueses e lusodescendentes.

IM (VP) // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Portugal com 2º maior excedente orçamental no 3º trimestre

Portugal registou o segundo maior excedente nas contas públicas (3,6% do PIB) na União Europeia (UE) no terceiro trimestre de 2018 e a maior subida face ao período anterior (6,4 pontos), segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo Eurostat.

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

Retenção na fonte de salários médios ainda não reflete totalmente mudança no IRS

As tabelas de retenção na fonte para 2019 vão aumentar o rendimento líquido de maioria dos contribuintes, mas não refletem ainda integralmente o efeito da reorganização dos escalões do IRS e descida de taxas observado em 2018, segundo a consultora Deloitte.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.