Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Temos de crescer um bocadinho mais para reduzir a dívida - Presidente da República

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 nov (Lusa) - O Presidente da República considerou hoje que os dados do crescimento económico divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram "uma trajetória positiva", mas que Portugal tem de "crescer um bocadinho mais" para reduzir a dívida.

"Eu diria que é uma trajetória positiva, que ainda não é suficiente para o grande objetivo de que falava ontem [segunda-feira] o ministro das Finanças, que é conseguirmos ir reduzindo claramente a nossa dívida pública. Temos de crescer um bocadinho mais", declarou Marcelo Rebelo de Sousa.

Segundo o chefe de Estado, que falava aos jornalistas, no final de uma visita à Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP), em Lisboa, os dados do INE indicam que "a trajetória mantém-se", mas dão "sinais que são mistos".

"Relativamente ao trimestre anterior, há um sinal positivo, porque tinha-se crescido 0,3%, agora cresce-se 0,5%. Relativamente ao ano anterior, em que tinha havido um crescimento muito grande, como se lembram, na ponta final do ano, aí o crescimento continua a ser bom, 2,5%, mas queremos mais", declarou.

O Presidente da República reforçou esta mensagem, acrescentando: "Queremos mais, eu quero mais. Vamos ver se é possível mais, porque depende também um bocadinho do crescimento da Europa e do crescimento à escala mundial".

IEL // JPS

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Banco espanhol BBVA vai passar a sucursal em Portugal

O BBVA Portugal vai passar de filial a sucursal, segundo informação disponível no 'site' do grupo, em que refere que este continua a ser "um mercado muito importante" e que o objetivo é dar à operação maior capacidade de gestão.

UTAO diz que é previsível que défice fique próximo de 1,4% do PIB

Lisboa, 17 jan (Lusa) - A UTAO estima que o défice de 2017 fique próximo de 1,4% do PIB, depois de até setembro ter sido de 0,3% do PIB, devido a um "conjunto de pressões" que apenas se sentiram no último trimestre.

Mário Centeno apontou Portugal como "case study" em Berlim

Berlim, 17 jan (Lusa) -- O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, apontou hoje Portugal como "um case study", depois de um encontro em Berlim com o seu homólogo alemão, o qual insistiu que "a solidariedade e a estabilidade" devem estar "de mãos dadas" na zona euro.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.