Jornal Diário Jornal das 13

Greve de médicos na região Norte com grande impacto e surpresa entre utentes

| Norte
Porto Canal com Lusa

A greve de médicos na região Norte convocada para esta quarta-feira está a ter impacto em várias cidades, especialmente no Porto, Bragança e Braga, e a ser sentida com bastante surpresa por parte dos utentes, avança esta quarta-feira a agência Lusa.

Atualizado 11-10-2017 17:04

No Centro Hospitalar do São João, no Porto, a greve foi sentida sobretudo nas consultas de controlo de sangue e ainda na consulta de ginecologia pós-operatória, avança a Lusa.

Os utentes que falaram à agência Lusa manifestaram-se surpreendidos e até irritados pelo impasse de que foram informados no momento do atendimento, relembrando as consequências que vão sentir de não terem a consulta.

A greve repercutiu-se também ao nível das unidades de saúde familiar, tendo na de Valbom, em Gondomar, faltado os três médicos que estavam ao serviço de manhã, disse à Lusa uma fonte daquela unidade.

Em Bragança, a greve dos médicos fechou todos os blocos operatórios dos três hospitais do distrito levando ao cancelamento de 22 cirurgias, informou a representante dos sindicatos à Lusa.

O centro de saúde de Santa Maria também foi afetado sendo que a expressão mais ouvida pela Lusa entre os utentes foi de “ai há greve?”.

Já em Braga, a greve teve mais impacto num dos principais centros de saúde da cidade onde a adesão ronda os 100% em algumas unidades, avança a agência Lusa.

Os médicos reclamam assim a redução de 18 horas para 12 horas semanais no serviço de urgência, bem como a diminuição dos utentes por médico de família de 1.900 para 1.500 utentes.

A greve foi convocada pelos dois sindicatos médicos - Sindicato Independente dos Médicos e Federação Nacional dos Médicos.

+ notícias: Norte

Taxistas do Porto continuam paralisação "apesar das contas para pagar"

Os cerca de 300 taxistas em protesto na avenida dos Aliados, no Porto, contra a nova legislação das plataformas eletrónicas de transporte prometem continuar a concentração "apesar das contas que há para pagar no final do mês".

Associação "Um lugar para o Joãozinho" foi afastada do projeto da pediatria mas continua a angariar fundos para a obra

O projeto da pediatria do S. João ia ser construído com financiamento privado, através de fundos angariados pela Associação Humanitária "Um lugar para o Joãozinho". Esta IPSS foi afastada do processo, pelo Hospital e pelo Governo, mas continua a angariar fundos para a obra.

'Kolkata Monsoon Relief': portuense cria projeto solidário para ajudar famílias na Índia

Há um português que está na India a ajudar familias de sem abrigo. O projeto de Tomás Magalhães consiste na entrega de kits plástico protector, uma rede mosquiteira e um conjunto de primeiros socorros e no total já conseguiu ajudar 4200 familias.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.