Info

Venezuela: Parlamento português aprova voto com "apelo ao diálogo democrático"

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 07 jul (Lusa) -- O parlamento português aprovou hoje um voto, do PSD e do CDS, de "apelo ao diálogo democrático" na Venezuela e rejeitou outro, do PCP, que condenava a "ação de grupos golpistas".

Esta é a quarta vez desde março que Assembleia da República discute, através de votos de pesar, a situação na Venezuela, onde vive uma grande comunidade portuguesa, e, mais uma vez, verificou-se uma clara divisão entre esquerda e direita.

No debate, no parlamento, o deputado do CDS Telmo Correia qualificou o "regime" venezuelano de "ditadura" e recusou qualquer "manifestação de solidariedade", acusação feita pelo líder da bancada comunista, João Oliveira, a grupos terroristas.

Era a referência feita aos grupos que invadiram o parlamento venezuelano, apoiantes de Nicolas Maduro, por entre acusações de agressões a deputados e jornalistas.

João Oliveira lembrou que o governo de Maduro condenou esta ação e, como já fizera nos debates anteriores desde março, condenou a "ação violenta de grupos golpistas" e as "ingerências externas" no país.

PSD e PS foram diplomáticos, apelaram ao diálogo, embora o deputado socialista Paulo Pisco tenha admitido não ser possível desculpabilizar o governo pelos acontecimentos tumultuosos dos últimos meses que já fizeram mais de 100 mortos.

Todos os partidos expressaram a sua solidariedade para com a comunidade portuguesa e de lusodescendentes que vive na Venezuela, com o PSD a pedir ao Governo que "não baixe os braços" na sua defesa.

Na hora da votação, o voto de pesar do PSD e do CDS teve o apoio do PS, e foi aprovado.

O voto de condenação dos atos de violência contra a Venezuela, apresentado pelo PCP, foi chumbado, apesar dos votos da bancada comunista, BE e PEV, e teve os votos contra do PS, PSD e CDS.

NS // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Balanço de mortos no incêndio no oleoduto no México sobe para 79

O número de mortos no incêndio após a explosão num oleoduto em Tlahuelilpan, no estado mexicano de Hidalgo, aumentou para 79 pessoas, com a morte de seis pessoas que estavam hospitalizadas.

Pelo menos 20 mortos em incêndio de oleoduto no México

Pelo menos 20 pessoas morreram e 54 ficaram feridas na sequência de um incêndio de grandes dimensões num oleoduto no centro do México, anunciaram na sexta-feira as autoridades mexicanas.

Parlamento britânico chumba moção de censura ao Governo conservador de May

O Parlamento britânico rejeitou hoje uma moção de censura ao Governo conservador da primeira-ministra Theresa May, com 325 votos contra e 306 a favor.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.