Info

Investimento de 600 mil euros no novo Laboratório de Solos de Vila Real

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Vila Real, 05 dez (Lusa) -- A Universidade de Vila Real inaugura no dia 13 o novo Laboratório de Solos e Plantas, que representa um investimento de 600 mil euros na modernização do equipamento e no aumento da qualidade e capacidade de resposta.

João Coutinho, vice-reitor e responsável por este laboratório, disse hoje à agência Lusa que a unidade se destina a prestar serviços à agricultura para efeitos de corretas fertilizações dos solos, e visa ainda apoiar a investigação.

É um serviço prestado desde 1979, ainda na altura do então Instituto Politécnico de Vila Real, mas que foi agora reestruturado e reequipado.

"O que este laboratório tem de novo relativamente ao que existia é que nós estamos a caminhar no sentido da automação e da robotização, de modo a aumentar a eficiência do laboratório e diminuir prazos de resposta e manter o rigor e a qualidade das análises", salientou.

De acordo com o responsável, o valor do investimento ronda os 600 mil euros, apoiados por fundos comunitários através do programa operacional ON.2.

Antes das obras, esta unidade analisava cerca de 10 mil amostras de solo e três mil amostras de plantas por ano.

"Com este investimento o que nós pretendemos é, a médio prazo, aumentar a eficiência dos técnicos e aumentar a capacidade do laboratório, eu diria que para o dobro", afirmou.

O tempo de resposta aos clientes será também encurtado. Muitas das análises físicas tinham prazos de entrega relativamente dilatados e, com os novos processos automatizados e robotizados, essa resposta será mais rápida.

O preço das análises varia entre os quatro e os 25 euros, dependendo da tipologia das mesmas.

"Tudo isto contribui para o aumento de produção, em alguns casos, e contribui em todos os casos para um aumento na eficiência nos fatores de produção. Neste caso os adubos", explicou.

Os clientes deste laboratório são as empresas do setor de fertilizantes, ainda associações e cooperativas de agricultores e produtores individuais. Possui ainda protocolos com instituições de investigação.

A esta unidade será dado o nome de Joaquim Quelhas dos Santos, numa homenagem ao trabalho desenvolvido por este professor na área da química agrícola e fertilidade do solo.

Joaquim Quelhas dos Santos deu o primeiro curso para agricultores, ministrado pelo então Instituto Politécnico de Vila Real.

A inauguração deverá contar com a presença do secretário de Estado da Alimentação, Nuno Vieira e Brito e insere-se no fórum "O Futuro da Investigação Agroalimentar".

Este debate vai juntar representantes de entidades nacionais e estrangeiras numa análise sobre as prioridades de investigação e desenvolvimento e inovação da agricultura, florestas, e das indústrias agroalimentares e florestais. Serão ainda discutidas as políticas para o agroalimentar para 2014-2020.

PLI // JGJ

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Mais sete mortes por Covid-19 nos lares da Misericórdia de Bragança

Morreram mais sete idosos utentes dos lares da  Santa Casa da Misericórdia de Bragança por Covid-19, anuncio em comunicado esta segunda-feira a instituição, subindo assim o número de óbitos para 18 nos três lares da Misericórdia de Bragança.

Morreu um dos feridos graves da explosão em fábrica de borracha em Melgaço

Um homem de 22 anos morreu hoje na sequência de uma explosão numa fábrica de borracha, em Melgaço, e uma mulher de 29 anos em estado grave foi transportada ao hospital, disse à Lusa fonte do INEM.

Ordem dos Advogados indicia "violação grave" de direitos humanos no Lar do Comércio, em Matosinhos

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados (CDHOA) detetou indícios de "violação grave" de direitos humanos no Lar do Comércio, em Matosinhos, e o "incumprimento reiterado" de orientações recebidas em vistorias, indica um relatório hoje divulgado.

Atualizado 19-10-2020 19:30

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.