Info

ANTRAM garante que abusos de empresas nos seus sistemas de abastecimento são exceções

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 abr (Lusa) -- A Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) garantiu hoje que são exceções e não a regra os abusos de empresas nos seus sistemas próprios de abastecimento e gestão de combustíveis.

Em comunicado e como resposta ao presidente da Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (APETRO), a ANTRAM reafirmou a preocupação e prioridade com o cumprimento de todas as regras, sublinhando que o receio se deve a "algumas histórias relacionadas com más práticas de alguns postos públicos".

"No entanto, a ANTRAM está consciente que estas situações de abuso são sempre exceção e nunca a regra", lê-se no comunicado da associação, que garante confiar no "sistema de controlo previsto pelo legislador" e que a fiscalização da Autoridade Tributária "será implacável no seu combate a toda e qualquer tentativa de fraude" em todos os tipos de postos.

Na sexta-feira, num colóquio sobre fiscalidade e energia, o presidente da APETRO, António Comprido, levantou suspeitas sobre a seriedade das empresas e sobre a fiabilidade, para efeitos fiscais, dos sistemas próprios de abastecimento e de gestão do combustível em sede de gasóleo profissional, segundo a ANTRAM.

A associação concluiu que o "estado de ansiedade" de António Comprido só pode ser entendido pelo "facto de não se confirmar a exclusividade de abastecimento do gasóleo profissional na esfera de negócio dos seus associados".

"Também como consumidores, acreditamos que o mercado, incluindo os dos combustíveis e da energia, carece de fatores que promovam a livre e sã concorrência e não de mecanismos artificiais que o espartilhem ou favoreçam práticas de concentração", concluiu a ANTRAM.

PL // MSF

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Costa nota reforço de verbas de promoção turística externa, com aposta no Reino Unido

O primeiro-ministro recordou hoje estar inscrito na proposta do Orçamento do Estado para 2019 um aumento de 37,5% das verbas para promoção turística externa, nomeadamente no Reino Unido, "historicamente o principal emissor turístico" para Portugal.

Empresas rodoviárias privadas dizem que se o Estado não reembolsar vão 'cortar' nos passes sociais

As empresas rodoviárias privadas ameaçam deixar de vender os passes sociais. A medida parte da Associação Nacional de Transportadores de Passageiros que garante que desde janeiro estas empresas ainda não receberam os cerca de 13 milhões de euros que deveriam ser reembolsados pelo Estado.

Crescimento da economia desacelera no 3º trimestre para 2,1%

O crescimento da economia portuguesa desacelerou no terceiro trimestre, com o Produto Interno Bruto (PIB) a avançar 2,1% em termos homólogos e 0,3% em cadeia, sobretudo devido a um abrandamento do consumo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.