Info

Lisboa, Porto e Cascais lideram ranking de desempenho económico

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 04 abr (Lusa) -- Lisboa volta este ano a liderar um ranking nacional que analisa os negócios, o turismo e as condições de vida dos 308 municípios portugueses e que coloca ainda Porto e Cascais no 'pódio', divulgou a consultora Bloom Consulting.

Nesta quarta edição do estudo anual, que mede como os municípios são vistos e classifica o desempenho da marca dos concelhos, Lisboa está novamente no primeiro lugar nas três categorias: "Negócios", "Visitar" e "Viver".

Do top 10 do ranking geral de 2017 hoje divulgado fazem parte, depois de Lisboa, Porto e Cascais, os concelhos de Braga, Coimbra, Sintra, Funchal, Oeiras, Faro e Setúbal.

A consultora sublinha as subidas de Faro, que estava fora do 'top 10' desde 2014; Cascais, que trocou de lugar com Braga, apesar de "uma luta renhida pelo 3.º posto"; e Funchal, que "não para de crescer desde a primeira edição".

Do lado das descidas, destacam-se Guimarães, "pela segunda vez em quatro anos fora do top 10, ficando em 14.º lugar", e Aveiro, que cai de 10.º para 11.º.

Apesar das mudanças, o top 25 apresenta os mesmos concelhos do que no ano passado: "Houve 17 alterações nas posições em relação ao ano anterior. Isto não significa a baixa de prestação de algum destes municípios, mas sim a subida acentuada de vários municípios que tendem a afirmar-se como grandes polos de atração de turismo, negócios e talento no contexto nacional".

Além de Lisboa e do Porto, só Coimbra, Sintra, Matosinhos (16.º), Maia (21.º), Torres Vedras (22.º) e Mafra (25.º) mantêm as posições da última edição no ranking geral.

Já Vila Nova de Gaia conseguiu o "mais impressionante crescimento" na tabela, ao passar de 34.º a 12.º classificado em quatro edições.

Em termos de regiões, Lisboa e Norte são as mais representadas no top 25 (com sete concelhos cada), seguidas do Centro (seis), Algarve (três), Alentejo (um) e Madeira (um).

"Apesar de não haver representantes dos Açores, a subida de nove lugares de Ponta Delgada mostra que a presença açoriana no 'top 25' pode estar para breve", refere a Bloom Consulting.

Na análise por categorias, Lisboa, Porto e Braga mantêm-se nos primeiros três lugares em "Negócios", enquanto o 'pódio' da rubrica "Visitar" (turismo) é ocupado por Lisboa, Porto e Funchal.

Lisboa, Porto e Cascais encabeçam a lista que avalia as condições de vida (categoria "Viver"), quando no ano passado Cascais estava em 2.º lugar e o Porto em 4.º (Braga estava em 3.º).

O Portugal City Brand Ranking analisa o sucesso dos 308 municípios portugueses e o desempenho relativo entre eles na captação de novos investidores, turistas e novos residentes, segundo variáveis como dados estatísticos, procura, pesquisas 'on-line' que tiveram como objeto o município em causa e desempenho 'on-line 'através dos 'sites' e redes sociais de cada município.

ROC (RCS) // ARA

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

"O terminar do BPA foi talvez o primeiro passo para o desmoronamento da banca nacional"

O Banco Português do Atlântico faria este ano 100 anos de existência. Os ex trabalhadores juntaram-se para relembrar o ultimo grande baluarte de uma instituação com sede no Porto. Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, afirma que "o terminar do BPA foi talvez o primeiro passo para o desmoronamento da banca nacional".

Trabalhadores dos impostos em greve no dia 27 pela negociação das carreiras

Os trabalhadores dos impostos cumprem no dia 27 uma nova greve em protesto pela revisão das carreiras, desta vez convocada pela Associação Sindical dos Profissionais da Inspeção Tributária e Aduaneira (APIT) e cujo pré-aviso foi divulgado este sábado.

Isenção automática de IMI chegou este ano a 1,17 milhões de pessoas

A isenção de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) que é atribuída a pessoas com rendimentos e património imobiliário de baixo valor chegou este ano a 1,17 milhões de contribuintes.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.