Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Wall Street sem tendência definida após G20 excluir condenação ao protecionismo

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 20 mar (Lusa) - A bolsa de Nova Iorque seguia hoje sem tendência definida no início da sessão, depois de a reunião do G20, que terminou no último fim de semana, ter excluído a tradicional condenação ao protecionismo económico da declaração final.

Pelas 14:00 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones subia uns muito ligeiros 0,01% para 20.916,11 pontos e o tecnológico Nasdaq cedia 0,02% para 5.900,02 pontos.

Já o índice alargado S&P 500 cedia 0,13% e estava em 2.375,12 pontos.

Este sábado, a declaração final da reunião de ministros das Finanças do G20 excluiu a tradicional condenação ao protecionismo económico e o apoio ao Acordo de Paris sobre o clima.

Segundo várias fontes ouvidas pela agência de notícias francesa AFP, a nova administração dos Estados Unidos (EUA), liderada por Donald Trump, que já assumiu posições hostis face ao comércio livre e à luta contra o aquecimento global, impediu o consenso entre estes dois temas nas conversações entre os ministros e conselheiros reunidos nesta ocasião, pelo que foram temas excluídos do documento final da reunião que decorreu na Alemanha.

IM (DN) // MSF

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Desempregados inscritos nos centros de emprego com maior redução de sempre em fevereiro

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego baixou 15,3% em fevereiro, face a igual mês de 2016, para 487.629 pessoas, representando a maior redução em termos homólogos desde que há registo.

CGD: Maior aposta no financiamento a empresas implicou subida do crédito em risco - Vara

Lisboa, 22 mar (Lusa) - O antigo administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Armando Vara, revelou hoje que quando a gestão de Santos Ferreira decidiu aumentar quota no segmento empresarial tinha consciência de que ia haver aumento do crédito em risco.

Reformas antecipadas com mais de 48 anos de contribuições deixam de ser penalizadas

Lisboa, 22 mar (Lusa) -- O Governo propôs hoje aos parceiros sociais que os trabalhadores com pelo menos 48 anos de descontos para a Segurança Social e 60 anos de idade se possam reformar antecipadamente sem qualquer penalização.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Imperdíveis

Casa Ermelinda Freitas em Águas...

Nota Alta

"Eu ainda não senti a...