Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Projeto "Joãozinho" quer reunião com Governo para avançar com ala pediátrica

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 14 dez (Lusa) -- A associação "Um Lugar para o Joãozinho", que visa construir uma ala pediátrica no hospital São João, no Porto, defendeu hoje que aquela obra "tem de ser feita" e pediu ao Governo uma reunião com todas as partes envolvidas.

"Esta obra tem de ser feita. Por isso, já a seguir, vou pedir ao senhor Secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, que convoque uma reunião com as diferentes partes envolvidas -- Administração do HSJ, Direção da Associação Joãozinho, Administração do Continente/Sonae e Administração do Consórcio Lucios-Somague -- para tratar de dois pontos, um que está a impedir a obra, outro que assegura uma parte significativa do seu financiamento futuro", indica o presidente da associação, Pedro Arroja, num email hoje remetido ao presidente do Centro Hospitalar de São João (CHSJ) e ao Ministério da Saúde.

Na missiva, a que a Lusa teve acesso, Pedro Arroja defende o "desimpedimento imediato do espaço por parte do hospital para que a obra possa prosseguir" e a "prossecução do dossier Mecenas-Continente, que garante uma parte importante do financiamento futuro da obra".

No documento, o responsável tece duras críticas ao parecer jurídico divulgado em outubro sobre a construção da nova ala pediátrica financiada pelo Continente Hipermercados, em troca da construção de um supermercado no terreno do hospital.

"Caro Dr. Oliveira e Silva [presidente do CHSJ], já deve antecipar o valor que eu atribuo ao parecer, aliás, nota jurídica, da autoria do Dr. Vasco Moura Ramos -- zero. Um papel feito de generalidades, banalidades e suposições falsas e mentirosas e, no fim, inconclusivo -- como não podia deixar de ser para quem não sabe daquilo que está a tratar", pode ler-se.

Ainda sobre o parecer, Pedro Arroja refere ter existido um "conflito de interesses" por parte do autor, advogado da Cuatrecasas, sociedade que contra ele "tinha apresentado uma queixa-crime" por difamação.

"Aproxima-se mais um Natal e as crianças continuam internadas num barracão", escreve Pedro Arroja, acrescentando: "um dia estas crianças vão-nos perguntar por que é que não fizemos esta obra, se a comunidade estendeu as mãos para reunir os recursos que a tornam possível".

Contactado pela Lusa, o Centro Hospitalar de São João escusou-se a comentar o assunto.

No final de outubro, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, disse que o projeto "Joãozinho" é "um problema que tem de se resolver".

O "Joãozinho" nasceu em 2009 e em março de 2015 foi lançada a primeira pedra da obra pelo então primeiro-ministro, Passos Coelho. O projeto só avançou nove meses depois com a demolição de instalações junto à Urgência Pediátrica, mas a obra voltou a parar pouco tempo.

LIL (PM) // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Jovem desaparecido na praia fluvial de Adaúfe, em Braga

Um jovem de 24 anos está desaparecido desde o final da tarde de hoje, na praia fluvial de Adaúfe, no concelho de Braga, disse fonte dos Sapadores Bombeiros de Braga à agência Lusa.

Homem gravemente ferido após ser eletrocutado em Sabrosa

Um homem de 54 anos encontra-se em estado grave após ter sido eletrocutado, este sábado de manhã, enquanto fazia a manuntenção de um posto de transformação, na rua da enxertada, em Sabrosa, Vila Real, avança fonte dos Bombeiros Voluntários de Sabrosa ao Porto Canal.

Greve da Polícia Municipal de Gaia com adesão de 40%

Os agentes da Polícia Municipal de Vila Nova de Gaia estiveram esta sexta-feira em greve. A escolha do dia não foi por acaso, o objetivo foi ter impacto na noite de São João. O sindicato que os representa indicou que houve uma adesão de 40%.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS