Costa garante 100% de empenho para não aumentar despesa com lei das 35 horas

Costa garante 100% de empenho para não aumentar despesa com lei das 35 horas
| Política
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro afirmou hoje compreender a preocupação do Presidente da República de que a reposição das 35 horas de trabalho na função pública não implique aumento de despesa, salientando que o Governo estará 100% empenhado nesse objetivo.

Esta posição consta de uma mensagem do chefe do Governo, António Costa, a que a agência Lusa teve acesso, logo após o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ter promulgado o diploma que restabelece as 35 horas de trabalho semanais na função pública, aprovado no parlamento na quinta-feira.

Nessa nota, o primeiro-ministro declara "compreender bem a preocupação do Presidente da República de assegurar que reposição das 35 horas não implique aumento da despesa global com pessoal".

"É o que consta do programa do Governo, é o que está previsto na lei ora promulgada e que terá de ser aplicada com todo o rigor para evitar quaisquer dúvidas sobre a constitucionalidade da lei aprovada na Assembleia da República", frisa o primeiro-ministro.

António Costa afirma depois que o seu Governo "estará 100% empenhado em assegurar que este objetivo" de não haver aumento global da despesa "é cumprido".

A lei que restabelece as 35 horas como período normal de trabalho em funções públicas foi aprovada em votação final global com votos a favor de PS, BE, PCP, PEV e PAN e votos contra de PSD e CDS-PP.

+ notícias: Política

Ministro das Finanças lamenta não poder contar com "valioso contributo" de Sérgio Figueiredo

O ministro das Finanças, Fernando Medina, lamentou hoje "não poder contar com o valioso contributo de Sérgio Figueiredo ao serviço do interesse público", após a renúncia do antigo diretor de informação da TVI ao cargo de consultor do ministro.

Grupo dos 50 responsabiliza a ministra da Saúde e gestores pela crise nas Urgências

O Grupo dos 50 responsabiliza a ministra da Saúde e gestores pela crise nas Urgências. Este grupo, do qual fazem parte personalidades das mais variadas áreas da sociedade civil, critica a realidade que tem marcado sobretudo os Serviços de Urgência de Ginecologia-Obstetrícia e apela ao Governo para que avance rapidamente com medidas estruturais que garantam a continuidade do Serviço Nacional de Saúde.

Montenegro propõe programa de emergência social no valor de mil milhões de euros

O presidente do PSD anunciou, domingo, que o partido entregou no parlamento uma proposta de programa de emergência social para o período de setembro a dezembro, no valor global de mil milhões de euros de ajuda aos mais necessitados.