Info

Manuel Frasquilho "desagradado" com tratamento dado aos gestores públicos

| Política
Fonte: Agência Lusa

Lisboa, 11 set (Lusa) - O antigo presidente do Metro de Lisboa, Manuel Frasquilho manifestou hoje o seu "desagrado" como a forma como os gestores públicos têm sido tratados, nomeadamente no caso dos 'swap', lamentando que todos sejam apontados como "os maiores incompetentes".

"Quero deixar claro o desagrado com que vejo serem tratados os gestores públicos, são todos incompetentes, não há um que escape e efetivamente não questionamos qual o modelo de organização", disse no parlamento Manuel Frasquilho, que foi presidente do Metro de Lisboa entre 2000 e 2003.

Em resposta à deputada do Bloco de Esquerda Mariana Mortágua na comissão parlamentar de Inquérito à Celebração de Contratos de Gestão de Risco Financeiro ('swap') por Empresas do Setor Público, o antigo responsável do Metro de Lisboa considerou ainda que "os serviços de interesse geral neste país, e nomeadamente os serviços de transporte, são tratados abaixo de cão".

"Mas não há um modelo de organização que se perceba e que responsabilize sobre esta questão dos serviços de interesse geral e este processo de organização. Quem faz ou tenta fazer isso tudo, são os gestores públicos que por sua vez são apontados como os maiores incompetentes", lamentou, destacando "a responsabilidade tremenda" daqueles gestores sobre a gestão da coisa pública.

Manuel Frasquilho fez questão de sublinhar que os gestores públicos "assumem claramente" que são "responsáveis pela gestão dos dinheiros públicos", mas que não podem contudo "fazer milagres", deixando implícitas as responsabilidades que os acionistas [Estado] e os reguladores também têm ou deviam ter neste processo.

JMG // VC

Lusa/fim

+ notícias: Política

Costa afirma que há condições políticas à esquerda para aprovar lei de bases da saúde

O primeiro-ministro considerou hoje que há condições políticas entre as forças da maioria parlamentar de esquerda para aprovar uma nova lei de bases da saúde, clarificando de vez as relações entre os setores público, social e privado.

PGR alerta para "inevitável turbulência" provocada por novo estatuto do MP

A procuradora-geral da República alertou esta terça-feira para a "inevitável turbulência" provocada pelas alterações decorrentes da reforma do Estatuto do Ministério Público, que colocam desafios numa magistratura com falta de meios humanos.

Governo prevê investimento superior a 36ME em projetos florestais

O Governo prevê um investimento total de mais de 36 milhões de euros em projetos para a gestão de combustível florestal, inclusive na recuperação das áreas afetadas pelo furacão Leslie, segundo um diploma publicado esta segunda-feira em Diário da República.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.