Três pessoas detidas por acesso ilegítimo a plataformas do Ministério da Saúde e da Segurança Social

Três pessoas detidas por acesso ilegítimo a plataformas do Ministério da Saúde e da Segurança Social
| País
Porto Canal/Agências

A Polícia Judiciária (PJ) desmantelou um grupo organizado cibercriminoso e deteve três pessoas por acesso ilegítimo a plataformas dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) e da Segurança Social Direta, revelou esta quarta-feira o órgão de polícia criminal.

Segundo a nota divulgada pela PJ, no decorrer da operação “#PINKSp@m” foram feitas 21 buscas domiciliárias e apreendido material informático, com o qual eram feitos acessos a plataformas ‘online’ de uso exclusivo por profissionais de saúde e ao canal ‘online’ da Segurança Social com credenciais de funcionários. Desta forma foram também disseminadas campanhas de falsas dívidas a empresas, entre as quais EDP Comercial, CTT, Endesa, Galp e outras.

Sobre os três detidos recai a suspeita dos crimes de acesso ilegítimo agravado, falsidade informática agravada, acesso indevido agravado, dano relativo a programas ou outros dados informáticos, falsificação de documento e burla qualificada.

A operação “#PINKSp@m” foi coordenada pela Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T).

+ notícias: País

Sindicato garante que situação do INEM "é muito mais grave do que tem vindo a público"

O presidente do Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar (STEPH) afirmou esta terça-feira que a situação no INEM “é muito mais grave do que o que tem vindo a público” e admitiu a convocação de uma greve.

FC Porto vai ter jogo difícil frente a Belenenses moralizado afirma Paulo Fonseca

O treinador do FC Porto, Paulo Fonseca, disse hoje que espera um jogo difícil em casa do Belenenses, para a 9.ª jornada da Liga de futebol, dado que clube "vem de uma série de resultados positivos".

Proteção Civil desconhece outras vítimas fora da lista das 64 de acordo com os critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) disse hoje desconhecer a existência de qualquer vítima, além das 64 confirmadas pelas autoridades, que encaixe nos critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro.