Câmara de Braga transfere mais de 860 mil euros em apoios às freguesias e instituições

Câmara de Braga transfere mais de 860 mil euros em apoios às freguesias e instituições
| Norte
Porto Canal

A Câmara de Braga vai transferir mais de 863 mil euros para financiar a execução de obras em várias Freguesias e apoiar a actividade de diferentes instituições do Concelho. As propostas, sob a forma de contratos interadministrativos de delegação de competências, apoios directos, contratos programa de desenvolvimento desportivo e de dinamização cultural, serão analisadas na Reunião Descentralizada do Executivo Municipal, que se realiza no próximo dia 12, na Freguesia de Tebosa.

No que se refere aos contratos programa de desenvolvimento desportivo, destaque para o apoio de 267.532,75€ a atribuir à Associação de Futebol de Braga.

A verba tem como finalidade o apoio às áreas de formação, a fomento e sensibilização para as diferentes modalidades, nomeadamente o pagamento de inscrições e do seguro de todos os atletas dos escalões de formação, três agentes desportivos dos clubes filiados na Associação de Futebol de Braga, bem como 25% das despesas inerentes à organização de jogos/competições organizadas pela a Associação de Futebol de Braga.

Em termos de contratos interadministrativos de delegação de competências, o Executivo Municipal vai analisar as propostas de atribuição de 147.593,17€ à Junta de Freguesia de Espinho, para o alargamento da Rua de S. Martinho; 119.578,19€ à Junta de Pedralva, para a requalificação da Rua do Além; 109.824,59€ à União de Freguesias de Guisande e Oliveira (S. Pedro), para a requalificação e alargamento da Rua das Agras; 2 767,00€ à União de Freguesias de Guisande e Oliveira (S. Pedro), para “Reforço de verba – Projecto – Requalificação e Alargamento da Rua da Agra - Guisande”; 15.052,00 à União de Freguesias de Crespos e Pousada, para trabalhos complementares à beneficiação da Rua do Matinho - Pousada”; 20.182,40€ à Junta de Freguesia de Priscos, para execução do alargamento da Rua dos Carvalhos; e 25.883,08€ à Junta de Freguesia de Figueiredo, para execução do Ramal de Águas Pluviais na Rua das Candeeiras.

Do leque de contratos inclui-se ainda o apoio de 2.455,49€ à União de Freguesias de Merelim S. Paio, Panóias e Parada de Tibães, para a construção de passeio na Rua Monte Forca/Av. Baltazar Nuno Gomes de Castro (Merelim S. Paio); 4.228,03€ à União de Freguesias de Celeirós, Aveleda e Vimieiro, para execução a requalificação da piscina de Celeirós; 3 075,00€ à União de Freguesias de Cabreiros e Passos (S. Julião), para “Honorários/Projecto – Rede de águas pluviais na Rua dos Paulinhos (Cabreiros); e 30.496,73€ à União de Freguesias de Lomar e Arcos, para o parque didáctico da Ponte Pedrinha.

Quanto aos apoios directos, o executivo vai analisar as propostas de atribuição de 3100€ à Junta de Figueiredo, para a substituição do abrigo de passageiros na Rua do Pinheiro do Bicho; 135.874,66€ à Junta de Tebosa, para a construção de ossários e obras de beneficiação no Cemitério e na Capela Mortuária; e apoio no valor de 1.500€ para o fornecimento de hiopoclorito para as piscinas nas Freguesias.

Da ordem de trabalhos faz ainda parte o contrato de dinamização cultural com a Associação Cultural, Recreativa e Desportivo de Ferreiros, no valor de 600€.

+ notícias: Norte

Avança demolição de habitações em risco na costa de Esposende com final à vista para dezembro

O projeto de execução para demolição das construções em risco em Cedovém, em Esposende, cuja conclusão esteve prevista para final de 2023, vai avançar, após aval do novo Governo, prevendo-se a sua conclusão até dezembro, foi esta quarta-feira revelado.

Estádio de Aveiro ainda não está pago e precisa de obras de 10 milhões de euros

Vinte anos depois de ter sido construído para o Euro2004, o Estádio Municipal de Aveiro ainda não está totalmente pago e já precisa de obras urgentes, que obrigam a um avultado investimento por parte da autarquia.

PS Braga critica gestão "à pai Adão" da empresa de águas e resíduos

O vereador do PS na Câmara de Braga Artur Feio criticou esta quinta-feira a gestão "à pai Adão" da empresa Agere, apontando o exemplo do serviço da varredura de ruas, que diz ser prestado sem qualquer acompanhamento ou fiscalização.