Passos Coelhos via na "troika" um "bem virtuoso" um "mal necessário", diz Paulo Portas

Passos Coelhos via na "troika" um "bem virtuoso" um "mal necessário", diz Paulo Portas
| Política
Porto Canal/ Agências

O antigo líder do CDS-PP Paulo Portas disse este domingo que Passos Coelho via na 'troika' "um bem virtuoso", enquanto ele a considerava "um mal necessário" e apontou a TSU dos reformados como um dos momento difíceis da coligação.

"Às vezes Passos Coelho achava ou dava a entender que achava a 'troika' um bem virtuoso, eu achava a 'troika' um mal necessário", afirmou Paulo Portas no seu espaço de comentário televisivo na TVI, respondendo às declarações do então primeiro-ministro e parceiro de coligação governamental durante o período em que Portugal esteve sobre intervenção da União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional.

Na semana passada, em entrevista ao ‘podcast’ “Eu estive lá”, da rádio Observador, o antigo presidente do PSD, em conversa com a jornalista Maria João Avillez, revelou que durante o seu governo com o CDS-PP, a ‘troika’ sinalizou “a partir de certa altura" que havia um problema de confiança em relação ao parceiro de coligação e ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, e "passou a exigir cartas assinadas” por ele.

“Julgo que ele não sabe isto: para impedir uma humilhação do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, obriguei o ministro das Finanças a assinar comigo e com ele a carta para as instituições. Assinámos os três. A ´troika´’ exigia uma carta só dele. Porque não confiava nele”, contou Passos Coelho.

Afirmando que "quem não se sente, não é filho de boa gente", Paulo Portas considerou que os comentários do ex-primeiro-ministro "não foram apropriados, nem justos", mas recusou "usar conversas privadas entre líderes políticos" e entrar "em polémica pessoal" com Passos Coelho.

"Estamos em 2024, acabou de chegar um Governo de centro-direita, não vejo qual seria a utilidade de contribuir para essa polémica", comentou.

+ notícias: Política

Eleições Madeira. PSD vence com 36,13% e 19 deputados

O PSD venceu este domingo as eleições regionais na Madeira, com 36,13% dos votos e 19 mandatos, mas sem maioria absoluta, segundo os resultados finais provisórios.

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.

Governo e PS reúnem-se em breve sobre medidas de crescimento económico

Lisboa, 06 mai (Lusa) - O porta-voz do PS afirmou hoje que haverá em breve uma reunião com o Governo sobre medidas para o crescimento, mas frisou desde já que os socialistas votarão contra o novo "imposto sobre os pensionistas".