Feriado porquê? O que se comemora no 1 de dezembro

Feriado porquê? O que se comemora no 1 de dezembro
| País
Porto Canal

O feriado de 1 de dezembro foi suspenso em 2012 e na época criou uma forte indignação. O objetivo da suspensão, aprovada sob o governo de Passos Coelho em 2012, foi "acompanhar, por esta via, os esforços de Portugal e dos portugueses para superar a crise económica e financeira que o país atravessa". Mas ele voltou. Em 2016, o primeiro de dezembro volta a ser feriado em Portugal, dando as boas-vindas ao último mês do ano com uma folga para a maioria dos portugueses.

Mas porque é que é feriado? Este dia assinala o golpe revolucionário de 1 de dezembro de 1640, que acabou com o domínio da dinastia filipina sobre Portugal, retirando o país do domínio espanhol e colocando no trono D. João IV. O golpe é designado como a Restauração da Independência.

Este feriado particular tem-se mantido desde a monarquia, passando os primeiros anos de República, o Estado Novo e o 25 de Abril, tendo estado suspenso apenas durante três anos. Foi um dos quatro feriados suprimidos a partir de 2013 pelo Governo PSD/CDS-PP, que foram repostos em 2016.

Embora a Revolução tenha acontecido em 1640, só em 1668 é que os espanhóis consideraram Portugal como um reino independente, com a assinatura do Tratado de Lisboa. Há quase 200 anos, desde 1823, que o 1º de dezembro é feriado nacional.

+ notícias: País

Portugal perdeu mais de 70 mil tanques de água. Lisboa foi a pior região

A Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) divulgou os números do desperdício de água, a nível nacional, relativos ao ano de 2022. Foram contabilizadas menos 6,8% de perdas em relação a 2021, mas ainda há 76 concelhos em nível insatisfatório.

Monkeypox: 238 casos detetados em Portugal desde junho

Cerca de 240 casos de Mpox foram detetados em Portugal desde 01 de junho do ano passado, revela um balanço da Direção-Geral da Saúde (DGS), segundo o qual o surto continua ativo, mas com tendência decrescente.

Médicos com contratos anteriores a 2013 continuam sem atualização salarial

A Federação Nacional dos Médicos denunciou esta segunda-feira que os médicos com Contrato Individual de Trabalho anterior a 2013 não receberam atualização salarial, mas a tutela esclareceu que esta situação abrange apenas quem aufere mais do que previsto.