"PSD não se vai coligar nem com PS, nem com Chega", garante Montenegro

"PSD não se vai coligar nem com PS, nem com Chega", garante Montenegro
| Política
Porto Canal / Agências

O presidente do PSD, Luís Montenegro, afirmou esta terça-feira o partido só não terá condições de governabilidade se "o Chega e o PS estiverem de mãos dadas".

"Se o PSD não tiver maioria absoluta no parlamento, o PSD tentará encontrar o reforço da sua posição de maneira a alcançar essa maioria, sendo certo que não se vai coligar nem com o PS, nem com o Chega. Se mesmo assim não houver maioria absoluta, terão de ser esses partidos a tomar uma de duas posições: ou dar condições de governabilidade ao Governo ou então deitá-lo abaixo", afirmou o líder do PSD à margem da conferência “A nova economia" organizada pela CNN Portugal.

Aos jornalistas, Luís Montenegro afirmou que só não serão dadas condições de governabilidade ao PSD "se o Chega e o PS estiverem de mãos dadas".

O líder do PSD garantiu também não ter intenção de formar um Governo de bloco central.

"Com a minha liderança no PSD isso não acontecerá seguramente", referiu.

Luís Montenegro disse ainda que no dia 10 de março, para o qual estão agendadas as eleições legislativas, o país terá duas oportunidades: "ou permanecer nesta linha de empobrecimento e definhamento da capacidade económica ou empreender uma mudança política".

"O dia 10 de março é uma oportunidade onde os portugueses podem tomar uma posição e espero que essa posição não seja de beneficiar o infrator", acrescentou.

Questionado sobre as críticas da Comissão Europeia ao "caráter expansionista" do Orçamento do Estado para 2024, Luís Montenegro defendeu que "vêm atrasadas".

"Portugal está a perder uma grande oportunidade de poder requalificar a sua economia, tecido empresarial ao alocar a totalidade das verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) ao investimento público" ao contrário dos restantes Estados da União Europeia.

"Temos 26 Estados na União Europeia, com um nível de financiamento equivalente ao nosso, a apostar nas suas estruturas empresariais e economia e isso vai-se refletir em mais competitividade nos próximos anos. Ao desviarmos esses recursos, não estamos a dar robustez à nossa capacidade", acrescentou.

+ notícias: Política

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.

Governo e PS reúnem-se em breve sobre medidas de crescimento económico

Lisboa, 06 mai (Lusa) - O porta-voz do PS afirmou hoje que haverá em breve uma reunião com o Governo sobre medidas para o crescimento, mas frisou desde já que os socialistas votarão contra o novo "imposto sobre os pensionistas".

Austeridade: programa de rescisões poderá conter medida inconstitucional - jurista

Redação, 06 mai (Lusa) - O especialista em direito laboral Tiago Cortes disse hoje à Lusa que a constitucionalidade da medida que prevê a proibição do trabalhador do Estado que rescinde por mútuo acordo voltar a trabalhar na função Pública poderá estar em causa.