Suspeitos de sequestro de homem na Feira ficam em silêncio no início do julgamento

Suspeitos de sequestro de homem na Feira ficam em silêncio no início do julgamento
| Norte
Porto Canal / Agências

O Tribunal de Santa Maria da Feira, no distrito de Aveiro, começou esta sexta-feira a julgar quatro pessoas suspeitas de terem raptado, roubado e espancado um homem, de 25 anos, supostamente para vingar uma “banhada” de droga.

Os suspeitos, três homens e uma mulher, com idades entre os 24 e 39 anos, decidiram remeter-se ao silêncio, no início do julgamento.

Os dois principais arguidos são um casal com que o ofendido vivia e que está em prisão preventiva. Ambos estão acusados dos crimes de sequestro, ofensa à integridade física e roubo, sendo que o homem responde ainda por um crime de ameaça agravada.

Um outro homem está acusado dos crimes de sequestro, ofensa à integridade física e roubo, enquanto o quarto elemento responde pelos crimes de ofensa à integridade física e roubo.

A primeira sessão do julgamento ficou marcada pelas declarações da vítima que começou por dizer que, na altura em que ocorreu o crime, estava “sob o efeito de drogas e álcool”.

Perante o coletivo de juízes, o ofendido contou que pegou em 230 euros que não lhe pertenciam, quando estava em casa do casal, negando que lhe tivessem pedido para ir comprar droga, como refere a acusação do Ministério Público (MP).

Relatou ainda que no dia seguinte estava a dormir em casa de um outro arguido, quando foi acordado com dois pontapés na cabeça pela arguida. De seguida, foi forçado a entrar num carro e levado até Macieira de Sarnes, tendo sido agredido com chapadas durante a viagem.

Quando chegaram ao destino, a vítima referiu que um dos arguidos lhe disse para sair do carro e tirar a roupa. “Disse-me para começar a andar e desaparecer dali”, acrescentou, adiantando que estava “assustado”.

O ofendido referiu ainda que o quarto arguido só apareceu “no último minuto”, adiantando que este “não soube o que se tinha passado”.

O coletivo de juízes ouviu ainda os inspetores da Polícia Judiciária que participaram na investigação, um dos quais disse que o caso teria ocorrido numa “banhada de droga”, adiantando que a própria vitima também não está “totalmente inocente”, uma vez que “está indiciada por tráfico e consumo”.

O caso ocorreu em 19 de julho de 2021, após um dos arguidos alegadamente ter mandado o ofendido ao Porto comprar droga.

A acusação do MP refere que a vítima "regressou sem produto estupefaciente e sem dinheiro", pelo que os arguidos combinaram que iam “acertar contas” com ele.

De acordo com a investigação, os arguidos raptaram o ofendido quando estava a caminhar junto à Igreja de Arrifana, em Santa Maria da Feira, tendo-o forçado a entrar numa viatura e transportado até uma zona de mato, em Maceira de Sarnes, no concelho de Oliveira de Azeméis.

Durante o percurso, o ofendido terá sido agredido várias vezes com socos e pontapés na cabeça e nas costelas.

De seguida, retiraram-lhe telemóvel que tinha no bolso das calças, a roupa e o par de chinelos que calçava na altura, deixando-o descalço e apenas com os ‘boxers’ vestidos e abandonaram o local.

A vítima conseguiu pedir ajuda numa casa nas proximidades, tendo sido transportado para o Hospital com diversos hematomas, equimoses e escoriações.

+ notícias: Norte

Portão de armazém do Pingo Doce cai em cima de trabalhador de Barcelos hospitalizado em estado grave

Um homem foi hospitalizado em estado grave na noite desta terça-feira após ter sido atingido por um portão do armazém do Pingo Doce de Barcelos, adiantou fonte dos bombeiros locais. Além deste ferido, também uma mulher sofreu ferimentos ligeiros.

Saiba quais foram os restaurantes do Norte que receberam estrela Michelin

O restaurante Antiqvvum no Porto foi a 'estrela da noite' com a atribuição da segunda estrela do guia Michelin, mas não foi o único a ser premiado esta terça-feira na região Norte. Quatro estabelecimentos do Porto mantiveram níveis de excelência.

Projeto "Ligue antes, salve Vidas" alargado à ULS de Gaia/Espinho e Entre Douro e Vouga

O projeto piloto "Ligue antes, salve Vidas" vai ser alargado à Unidade Local de Saúde de Gaia/Espinho e à Unidade Local de Saúde de Entre Douro e Vouga, indica uma portaria publicada em Diário da República esta terça-feira.