Bastonário dos médicos debateu com Defesa e Justiça carreiras médicas fora do SNS

Bastonário dos médicos debateu com Defesa e Justiça carreiras médicas fora do SNS
| Política
Porto Canal/Agências

O bastonário da Ordem dos Médicos revelou esta quinta-feira ter tido reuniões com as ministras da Defesa e da Justiça para debater a carreira médica e outros problemas dos médicos que trabalham fora do Serviço Nacional de Saúde.

Em declarações à agência Lusa, Carlos Cortes reiterou que o bastonário "representa todos os médicos" e que, apesar de nos últimos anos a Ordem dos Médicos (OM) ter estado mais focalizada nos médicos do Serviço Nacional de Saúde (SNS), tem tido o cuidado de se inteirar das questões de formação e progressão na carreira dos médicos que prestam serviço fora do SNS e em organismos tutelados por Ministérios como o da Defesa, Justiça, Ministério da Administração Interna, Ministério da Solidariedade e Secretaria de Estado do Desporto e Juventude.

Defendendo uma "visão transversal da medicina e dos médicos dos cuidados de saúde", Carlos Cortes reuniu-se na quarta-feira com a ministra de Defesa e em julho com a ministra da Justiça, analisando quer a questão dos médicos militares (Defesa), quer o caso dos médicos de Medicina Legal e também os médicos dos Estabelecimentos Prisionais, cujas entidades são tuteladas pelo Ministério da Justiça

Segundo Carlos Cortes, a possibilidade de o médico um dia estar num setor, público, privado ou social, e mudar de setor, tendo a sua progressão na carreira médica assegurada, é um aspeto que é para a OA "absolutamente fundamental".

O objetivo desta estratégia "transversal", esclareceu o bastonário, é garantir a representação dos médicos em todas as suas dimensões, independentemente do Ministério em que estejam inseridos, bem como de assegurar cuidados de saúde de forma global, e não só nos vários hospitais e centros de saúde do país.

Por exemplo, no âmbito da Defesa Nacional, coloca-se a questão dos médicos militares e dos médicos civis que trabalham em instituições militares, havendo aqui "algumas situações que merecem ser acauteladas".

Carlos Cortes reconheceu que uma das preocupações da OM passa por fazer o acompanhamento da progressão das carreiras médicas nessas instituições fora do SNS, salientando que há outras questões, como a formação e o âmbito disciplinar.

Em questão está, mencionou, garantir as oportunidades que os médicos têm de ter e de fazer formação, independentemente de estarem num hospital militar ou num hospital do Serviço Nacional de Saúde.

"Depois há aqui uma matéria que é a questão disciplinar e que, obviamente é absolutamente transversal", disse Carlos Cortes, salientando contudo que a grande preocupação da OM é manter uma visão alargada e transversal da profissão médica e dos cuidados de saúde, resolvendo também problemas em termos de carreira, colocação e vagas em setores tutelados pelos Ministérios.

De acordo com o bastonário, quer a ministra da Justiça, Catarina Sarmento e Castro, quer a ministra da Defesa, Helena Carreiras, mostraram-se sensibilizadas para os assuntos relacionados com os médicos que prestam serviço naqueles ministérios, nomeadamente em termos de progressão e melhoria das condições de trabalho.

"A ordem dos médicos quer representá-los de todas as formas e aquilo que irá defender para os médicos do SNS irá também defender para os médicos do setor privado e destas outras tutelas", prometeu.

+ notícias: Política

"Aqui não há enganos, nem votos enganados". Joana Amaral Dias é a candidata do ADN às eleições europeias

A antiga deputada Joana Amaral Dias vai ser a cabeça de lista do partido Alternativa Democrática Nacional (ADN) às eleições europeias de 09 de junho, com o objetivo de conseguir pelo menos um mandato no Parlamento Europeu.

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.

Governo e PS reúnem-se em breve sobre medidas de crescimento económico

Lisboa, 06 mai (Lusa) - O porta-voz do PS afirmou hoje que haverá em breve uma reunião com o Governo sobre medidas para o crescimento, mas frisou desde já que os socialistas votarão contra o novo "imposto sobre os pensionistas".