Marcelo e outros 5 presidentes do Mediterrâneo subscrevem documento em defesa do ambiente

Marcelo e outros 5 presidentes do Mediterrâneo subscrevem documento em defesa do ambiente
| Política
Porto Canal/Agências

O Presidente da República assinou um apelo com outros cinco chefes de Estado do Mediterrâneo comprometendo-se a "apoiar iniciativas de ação conjunta" para fazer face às alterações climáticas, avisando que "já não há tempo a perder".

Este apelo foi também assinado pelos presidentes da Croácia, Grécia, Itália, Malta e Eslovénia, que pertencem ao Grupo de Arraiolos e situam-se na orla mediterrânica.

No texto, lê-se que, "como esperado, a crise climática chegou e atingiu proporções extremamente perigosas", recordando-se que, na conferência sobre o clima em Nova Iorque, realizada em julho, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, classificou a atual situação como sendo de "ebulição global".

"Os seus efeitos são especialmente visíveis na nossa região, o Mediterrâneo, gravemente afetado e em risco imediato de escassez de água e de eletricidade, mas também de inundações, ondas de calor generalizadas, incêndios e desertificação", sublinha-se.

Os chefes de Estado referem que "fenómenos naturais extremos estão a destruir o ecossistema" e a ameaçar o "modo de vida" dos países do Mediterrâneo.

"Já não há tempo a perder, já não há tempo a comprometer por razões políticas ou económicas. Urge agir e tomar iniciativas eficazes. Todos os países do Mediterrâneo devem coordenar-se e reagir, empenhando-se num esforço coletivo para travar e inverter os efeitos da crise climática", salientam.

Os chefes de Estado defendem que é "dever de todos" atuar "nesse sentido e adotar políticas concretas", assim como "sensibilizar o público e inspirar em todos a ética da responsabilidade ambiental".

"Não só para o presente, mas também para o futuro dos nossos filhos e das gerações vindouras", lê-se.

No apelo, os chefes de Estado "comprometem-se a apoiar iniciativas de ação conjunta e a lançar um apelo à União Europeia, a outros países mediterrânicos e à comunidade internacional".

+ notícias: Política

Após polémica, adjunta do ministro das Finanças recua e decide não assumir funções

Patrícia Dantas recua e não vai assumir funções de adjunta do ministro das Finanças, de acordo com nota enviada pelo gabinete do Ministro das Finanças.

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.

Governo e PS reúnem-se em breve sobre medidas de crescimento económico

Lisboa, 06 mai (Lusa) - O porta-voz do PS afirmou hoje que haverá em breve uma reunião com o Governo sobre medidas para o crescimento, mas frisou desde já que os socialistas votarão contra o novo "imposto sobre os pensionistas".